terça-feira, 31 de maio de 2011

Dieta Mediterrânea


Roteirista de filmes famosos, como "Entre as Pernas" (1999) e diretor do drama "Inconscientes" (2004), o catalão Joaquín Oristrell elege a gastronomia como cenário da comédia romântica "Dieta Mediterrânea". 
Contando com a assessoria técnica de medalhões internacionais da alta culinária, como o chef catalão Ferran Adriá, o diretor desenvolve um medianamente apimentado triângulo amoroso, equilibrado entre a jovem chef Sofia (Olivia Molina) e seus dois amores, o marido Toni (Paco León) e o amigo Frank (Alfonso Bassave). (ig.com.br - Último Segundo)

Badejo Mediterrâneo

semvagas.com / corremos.com.br

A Dieta Mediterrânea é baseada na alimentação dos povos de países banhados pelo mar Mediterrâneo. Trata-se de uma alimentação bem colorida, nutritiva e diversificada, com alto consumo de frutas, hortaliças (verduras e legumes), cereais, leguminosas (feijão, grão-de-bico, lentilha), oleaginosas (amêndoas, azeitonas, nozes), peixes, leite e derivados (iogurte, queijos),  azeite de oliva e vinho. Na dieta Mediterrânea há baixo consumo de carnes vermelhas, gorduras de origem animal, alimentos industrializados e doces.
Existem diversas receitas para peixes à moda do mediterrâneo, algumas levam beringela, abobrinha, camarões, outros tipos de peixes... Eu usei o que tinha em mãos e ficou ÓTIMO!




Ingredientes:

500 gr de badejo em tranche (cortes grossos na diagonal)
2 dentes de alho picadinhos
1 cebola média picada em cubos médios
4 colheres de sopa de azeite
Raspas de 1 limão siciliano
Suco de 1 limão siciliano
1 pimentão verde picado em cubos médios
2 tomates sem sementes picados em cubos médios
100 gr de shitake cortado em lâminas
1 xícara de ervilha fresca
2 colheres de sopa de alcaparras
Sal e pimenta-do-reino a gosto



Preparo:
Temperar o peixe com sal, pimenta, alho, o suco de limão e 1 colher de azeite. Prepare a assadeira: Faça uma cama de cebola regada com 1 colher de azeite, depois coloque os tranches de badejo e por cima espalhe o restante dos ingredientes. Cubra com papel alumínio e leve ao forno preaquecido por 20 minutos. Retire o papel alumínio e volte ao forno por mais 10 a 15 minutos.




segunda-feira, 30 de maio de 2011

Arroz biro-biro



Há receitas de criação anônima, ou seja, com autor ignorado, e aquelas que têm ano, local e inventor conhecidos, como o arroz biro-biro, batizado com o apelido do famoso jogador do Corinthians entre 1978 e 88. Surgiu em inícios dos anos 80, nos salões do Rodeio, uma das melhores churrascarias de São Paulo na época. O jornalista Tarso de Castro, já falecido, era fidelíssimo ao Rodeio e certo dia, enfrentava deliciado um grelhado, mas reclamava ao maître Cecílio do arroz simples que o acompanhava. Então, o atencioso profissional foi à cozinha e voltou com um prato reforçado: arroz branco com ovo frito. O jornalista dava as primeiras garfadas naquele arroz quando chegou seu colega Thomaz Souto Corrêa, outro habitué do Rodeio, que sugeriu a Tarso mandar completá-lo com batata-palha. O novo ingrediente conferiu à receita o característico toque crocante. Seguindo a tendência da época, os ingredientes chegavam à mesa previamente elaborados, para a montagem e finalização diante do cliente, em frigideira aquecida no réchaud. Testemunha gustativa da invenção, o publicitário corintiano Washington Olivetto, acredita que o denominaram arroz Rodeio porque o dono do restaurante é São Paulino, mas foi o maître Cecílio, “corintiano roxo”, quem primeiro falou em arroz de biro-biro. A combinação de ovo frito e batata-palha lembrou-lhe o cabelo do jogador. (Texto de Dias Lopes)
Esse é um grande acompanhamento para carnes grelhadas, mas pode ser servido como prato único.
Já vi diversas versões desse arroz, e claro, também tenho a minha com linguicinha frita!


Ingredientes:

300g de arroz branco cozido
1 colher de sopa de manteiga
1 colher de sopa de azeite
1 cebola pequena, picada
1 colher de sopa de cebolinha verde, cortada em rodelas finas
30 g de bacon frito na frigideira, fatiado e picado
100 gr de linguiça cozida, fritinha e esfarelada sem a pele
2 ovos fritos em óleo não muito quente (para não crostar a clara)
100 g de batata palha
1 colher de sopa de salsinha picada
2 ovos fritos e cortados em partes 
100g de batata palha
Sal e pimenta-do-reino a gosto 


Preparo:


Em uma frigideira grande, derreta a manteiga e junte a cebola e a cebolinha verde. Deixe dourar, acrescente uma pitada de sal e em seguida despeje o arroz cozido, o bacon frito, a linguiça fritinha e a salsinha. Misture bem. Corte em pedaços os ovos fritos e junte ao arroz. Acrescente a batata palha e misture. Mexa mais um pouco e sirva.




Crumble de Maçã com Molho Butterscotch

A Iris do meu jardim e o pé de Canela


Ontem tive vontade de comer um doce não muito melado. Com o ar fresco da manhã vinha do jardim o aroma de canela e lembrei-me do Crumble....

Crumble é uma sobremesa inglesa feita de frutas frescas recobertas com uma massa semelhante a uma farofa e depois assadas no forno. A massa pode ser feita de farinha ou biscoito picado, mais açúcar e manteiga.
A tradução para Crumble é: farelo
                                         migalhas.


Esta receita é de Olivier Anquier, ele optou por peras, uma colega da faculdade fazia com bananas, mas pode ser usada qualquer outra fruta.
Eu, na verdade prefiro com maçã verde ou Fuji pela acidez e firmeza da fruta que vai muito bem com a cobertura crocante de canela (crumble propriamente dito).
Trata-se de uma sobremesa super prática, rápida e d e l i c i o s a!!!!!!!




Vamos aos ingredientes:
Para a farofa:
100 gr de açúcar mascavo
100 gr de farinha de trigo
80 gr de manteiga integral sem sal amolecida
1 colher de chá de canela em pó
As frutas:
3 maçãs verdes ou Fuji (4) cortadas em lâminas finas, salpicadas com canela e açúcar mascavo.


dicasdenutricao.com/ mundomaisorganico.com.br/ agrolink.com.br

Preparo:

Junte o açúcar com a farinha, a canela e vá acrescentando a manteiga misturando com a ponta dos dedos (meu maridão misturou para mim) até que se transforme numa farofa úmida e soltinha.


O Molho Butterscotch é um caso à parte! O sabor resultante da calda escura feita com manteiga e mascavo aromatizada com o whisky é embriagante...


Para o molho
Ingredientes:
80 gr de açúcar mascavo
40 gr de manteiga integral sem sal amolecida
1 cálice (de licor) de whisky
150 ml de creme de leite fresco
Preparo:
Coloque o açúcar mascavo e a manteiga numa panela em fogo médio e mexa até derreter toda a manteiga. Acrescente o whisky e incorpore ao creme de manteiga com açúcar. Deixe que evapore um pouquinho e junte o creme de leite fresco, mexendo sempre. Desligue e coloque numa molheira para servir ainda morno, com o crumble acompanhado por uma bola de sorvete de creme (opcional).




Licença poética para transformar o butterscotch em "butter cachaça" acompanhando um crumble de banana da terra, já pensou? Que tal usar a "Busca Vida" do meu amigo Carlão?

sexta-feira, 27 de maio de 2011

The Mistress of Spices



Além do sabor, do encanto e da magia, as especiarias são fascinantes pela história, lendas e crendices!
Quando se tenta desvendar tanto mistério somos envolvidos por uma aura de sedução, muitas vezes de difícil solução! 
É preciso saber como, onde e quanto usar essas delícias que podem transformar um prato em verdadeiro prazer, cheio de emoção e de alquimia. 

Especiarias




Istambul é a cidade mais inebriante que já passei; as cores, o caos urbano, as luzes, os minaretes que se destacam ecoando as orações em meio às buzinas de carro e pessoas que oferecem suas mercadorias por todo o caminho gerando um burburinho constante.



E os cheiros! Contrastantes cheiros de pessoas,perfumes, peixes, doces (e que doces! – assunto para outra matéria), café e finalmente o cheiro do mercado egípcio que já no entorno é embriagante...


Quando a gente entra no mercado fica difícil não se dobrar às luxuriantes cores e aromas: Especiarias, em maravilhosos tons da terra, do verde claro ao petróleo, do bege ao ferrugem e marrom! Perfumes coloridos e vibrantes com aromas de sândalo, âmbar e gardênia, pimentas, ervas medicinais, mel, doces turcos, barras de mel com frutos secos, chás de flores e frutas, pistaches enormes, amêndoas, frutas secas ou cristalizadas, azeites, azeitonas, embutidos e queijos de todas as qualidades, o autêntico caviar, cafés das mais variadas espécies e muito mais!
Além dessa maravilha visual, olfativa e gastronômica, os viajantes são brindados com a famosa pechincha, considerada parte da cultura nacional!


O Mercado ou Bazar das Especiarias, ou Bazar Egípcio (em turco: Mısır Çarşısı) é um dos bazares mais antigos e maiores da cidade de Istambul na Turquia. Somente o Grande Bazar é maior quanto às dimensões. Está situado junto à Mesquita Yeni e Ponte de Gálata.


O termo especiaria, a partir dos séculos XIV e XV na Europa, designou diversos produtos de origem vegetal (flor, fruto, semente, casca, caule, raiz), de aroma e/ou sabor acentuados. Isso se deve à presença de óleos essenciais. O seu uso as distingue das ervas aromáticas, em que usam principalmente as folhas.
Além de utilizadas na culinária em temperos e conservação de alimentos, as especiarias eram utilizadas ainda na preparação de óleos, ungüentos, cosméticos, incensos e medicamentos.


wikipedia.org/ - cliqueagosto.pop.com.br
 Açafrão: Cultivada como planta sagrada no Egito, como essência aromática na Babilônia, tintura de cabelos na Grécia ou para fins medicinais, o açafrão vem do árabe za'faram que significa amarelo. O pistilo seco é a especiaria mais cara do mundo, pois são necessárias 200.000 flores para se obter 1 k. É utilizada como condimento e aromatizante pelo sabor levemente amargo e pela cor alaranjada. Muito usado na cozinha francesa, portuguesa e espanhola em arroz. risotos, pães, guisados,  pratos com frutos do mar.
Quantidade: 1/4 de colher de chá para uma xícara de arroz
                  1/2 colher de chá para aves de 1,5 k.


licordaterra.blogspot.com

Anis-estrelado: Nativa da China produz flores amarelas que se abrem em frutos como uma estrela. Muito usada na cozinha chinesa em carne de porco, aves, peixes e vegetais, seu aroma é semelhante, porém mais forte que a erva-doce. O óleo é usado para aromatizar licores.
Quantidade: 3 a 4 unidades nas caldas de frutas




seraobenedyto.blogspot.com
Baunilha em fava: Originária do México é uma vagem de orquídea trepadeira que leva o nome de "Vainilla"- em espanhol. A vagem deve ser flexível , marrom e coberta por mínimos cristais. Por ser bastante cara existem imitações de origem química.
Vai bem em pudins, cremes, sobremesas com frutas e como aromatizante de café, chocolate, açúcar.


dicascuriosidadesemais.blogspot.com
Canela: Nativa do Sri Lanka a especiaria é a casca tirada dos ramos finos. A canela é versátil podendo ser utilizada em inúmeros pratos com frutas frescas ou secas, compotas, legumes e picles, café, chocolate, cremes doces e salgados, pudins, bolos, carne de porco, cordeiro, boi,  aves, bolachas etc.
Quantidade: Rama - 1 pedaço de 10 cm para cada 4 xícaras de bebidas ou compotas
                   Moída - 1/2 colher de chá para 2 litros de caldos ou 2 colheres de chá para bolos, pudins e tortas médias.



www.ojornalweb.com
Cardamomo: Especiaria usada no mundo antigo pelos egípicios, gregos e romanos, chegou à Europa através da rota das caravanas e é a terceira especiaria mais cara do mundo. Encontrada em Malabar, Sri Lanka, México e Guatemala, pertencente à família do gengibre pode ser utilizada em pratos doces e salgados (bolos, cafés, frutas, vinhos, picles, peixes, carnes e muitos pratos indianos.
Quantidade: 8 cápsulas para 1 litro de infusão
                  1/2 colher moído em saladas de frutas (4 pessoas) ou bolos.

portalsaofrancisco.com.br




Cominho: Originária do Oriente, cultivada no Egito e países mediterrâneos; a especiaria vem da semente da planta. Encontrado em pó ou grão é utilizado no preparo de pães, queijos, chucrute, na mistura de chili e curry, tortas, sopas, assados, caças, aves, feijões.
Quantidade: 1/4 de colher de chá em cozidos e marinadas de 1 k.






www.mundomaisorganico.com.br
                                                           
Cravo da Índia: Utilizado pelos cozinheiros chineses séculos A.C. foi monopolizado pelos holandeses no século XVII, mas os franceses conseguiram as sementes no século XVIII. Hoje é plantado em países de clima tropical, inclusive no Brasil - Bahia - grande produtor mundial. O sabor é penetrante, doce, quase quente. Ornamentam pratos, frutas e são utilizados em bebidas, marinadas, picles, sopas, sucos, bolos, pudins, bolachas, pães, molhos, glacês, compotas, merengues, assados.
Quantidade: Moído - 1/4 de colher de chá em compotas
                               3/4 de colher de chá em 3 k de assados
                     Inteiro - 1 a 2 para cada xícara de chá ou vinho
                                 2 a 3 em compotas

 geocities.ws  / lasrecetascocina.com
Cúrcuma: Nativa da Conchinchina é cultivada há mais de 2000 anos na China, Índia e Oriente Médio e atualmente expandiu-se por todas as regiões tropicais do mundo. Foi utilizada como tinta e ainda hoje é usada para colorir manteigas, queijo, picles. A raiz é lavada e seca ao sol para posteriormente ser moída. Chamado de açafrão-da-terra pela semelhança da cor e cheiro, na verdade não tem nem parentesco com o açafrão verdadeiro. A cúrcuma é usada em sopas, arroz, picles, molhos cremosos, pães, macarrão, aves e peixes. É fundamental na preparação do curry e mostarda.
Quantidade: 1/4 de colher de chá em 2 xícaras de molhos claros e molhos para frutos do mar ou frango
                     
glamourbrasileiro.com.br
Erva-doce (Anis): nativa do Oriente Médio cresce atualmente na Rússia, Índia e partes da Europa. Uma das mais antigas especiarias é parente do funcho, endro, kümmel e cominho. O pastis da França designa muitas bebidas aromatizadas com erva-doce, também utilizada no Ouzo da Grécia e no Arack árabe. Pode ser empregada em pescados, doces, bolos, biscoitos, pães, molhos, vegetais e o nosso chá.
Quantidade: 1/2 colher de chá em frutas e peixes.




jornale.com.br
Gengibre: Nativo do sudeste da Ásia, foi uma das primeiras especiarias orientais conhecidas da Europa. Encontrado inteiro ou moído é bege-claro com sabor doce e quente. O gengibre inteiro fresco, ralado ou em pó é usado em pratos salgados, picles, marinados, caldas, bebidas, conservas, chás, frutas, pudins, bolos, biscoitos e indispensável no nosso quentão. Retire a casca raspando com o auxílio de uma colher e rale ou corte em lâminas.
Quantidade: 1 colher de chá em 1 k de carnes
                   1 colher de chá de gengibre moído equivale a 10 pedaços de gengibre inteiro do tamanho de uma casca de amendoim. 


rede.radio93.com.br / anutricionista.com
Gergelim: Existem dúvidas quanto a origem exata - África ou Índia, mas era utilizado na China há 5000 anos. Há muitas variedades (branca,castanha ou preta). Usado em pães, bolachas, crosta de peixes, saladas, farofas.
A partir de uma pasta espessa de sementes de gergelim se obtém o tahine usado em molhos, aperitivos, sanduiches, pães, bolos.







comendocomosolhos.blogspot.com

Kümmel: Originária da Europa e Ásia foi aclimatada na América do Norte e é conhecida no Brasil como alcaravia. Muito utilizada em pratos alemães, eslavos e húngaros tem sido usada como especiaria há 5000 anos. O fruto da planta da família da salsa apresenta semente pequena e marrom. Muito popular na Inglaterra especialmente no bolo de sementes de kümmel. Usada em pães, bolos, biscoitos, arroz, patês, maçãs cozidas, assados de vaca, frango e cordeiro, marinadas, feijões.
Quantidade: média de 1/2 colher de chá para 250 gr de macarrão, 1 k de carnes, 1/2 k de bolos. 


menuexperimental.blogspot.com


Macis: Invólucro carnoso da semente da noz-moscada. As mais avermelhadas são originárias da Indonésia e mais amareladas são provenientes de Granada. O aroma lembra a noz-moscada, porém, mais refinado e mais caro.Pode ser encontrado inteiro ou moído. Utilizado em pratos doces, sopas e alguns pratos salgados como molhos, suflês, sopas, peixes, massas recheadas e embutidos. 
Quantidade: 1/8 de colher de chá em bolos e pudins de chocolate





culinariaemagia.blogspot.com
Mostarda: Nativa da Europa e sudoeste da Ásia é conhecida desde a Grécia antiga. De sabor extremamente picante e com duas variedades - amarela e marrom, a mostarda seca é a mistura das duas. As sementes de mostarda são usadas em picles, legumes, carnes, batatas, repolho, já a mostarda seca dá sabor aos ovos, queijos, saladas, carnes e aves. A mostarda branca é usada na mistura americana e inglesa, nunca nas francesas - Dijon. No Brasil usa-se a mostarda amarela.
Quantidade: Moída - 1/2 a 1 colher de chá em 1 colher de chá de vinagre - coloque um pouco de cúrcuma para obter 2 colheres de chá de molho de mostarda (bem picante).
                  Semente: 1/4 de xícara de chá para 1,5 xícara de tempero para legumes.

jornale.com.br
Noz-moscada: Planta de origem oriental, alcançou a Europa no início do século XII. Monopolizada por portugueses e holandeses durante séculos, os árabes foram os primeiros a importar para o ocidente no princípio da Idade Média onde tornou-se preciosidade amplamente procurada. A árvore dá origem a duas especiarias ao mesmo tempo: a noz-moscada - oval e o macis - arredondado e de cor vermelha. De sabor doce e picante realça o sabor de sopas, carnes, legumes e pratos doces (bolos, bolachas, tortas, pudins, frutas, bebidas).
Quantidade: 1/4 de colher de chá em bolos, molhos, sopas e legumes.
                   1/8 de colher de chá em glacês. pudins, ou 1/2 k de carnes e aves.


voutecontar.net
Páprica:Nativa da América Central, hoje, a maioria é importada da Espanha e Europa Central e cultivada também na Califórnia É um pó vermelho obtido da maceração de um pimentão doce acrescentada ou não de pimenta, classificando-se em doce, meio-doce e picante. Tempero típico da cozinha húngara é utilizada em sopas, guisados de carne, frango, peixe, arroz ou como ornamento de pratos claros.
Quantidade: 1/2 colher de chá misturadas em farinhas, batatas, legumes
                   1 colher de sopa em ensopados





orlandosidee.de
Pimenta-da-Jamaica: Seu sabor lembra uma mistura de noz-moscada, canela e cravos e suas bagas são o dobro da pimenta-do-reino. Descoberta por Colombo no século XV foi introduzida na Europa somente no século XVII. Muito versátil, inteira pode ser utilizada em assados, molhos, sopas, conservas, pescados e frutas assadas e moída pode ser utilizada em bolos, pudins, bolachas, molhos etc.
Quantidade: Inteira - 3 para sopas e uma média de 5 para 1 k de peixe.
                  Moída: 1/2 colher de chá para bolos, mistura em coberturas ou frutas assadas.



conexaoparis.com.br / pimentasartesanais.com.br
Pimenta-do-Reino: Nativa da Índia é considerada a especiaria mais popular do mundo.É colhida ainda verde e colocada para secar obtendo a cor escura e quanto à pimenta branca, tem a pele retirada e é colocada de molho por alguns dias antes de secar, consequentemente tem sabor mais fraco. Da mesma planta retira-se a pimenta verde e apimenta rosa (madura) que são mantidas em salmoura ou conserva. Responsável pela busca das rotas marítimas ao Oriente essa pimenta dominou o comércio e houve época em que seu preço valia tanto quanto o ouro.
A pimenta preta pode ser utilizada em qualquer prato, exceto doces e a pimenta branca é mais utilizada em pratos claros onde não interfere na cor, também usada em certos bolos e bolachas alemãs.

 senaculinaria.blogspot.com
Pimenta Rosa: Nativa da América do Sul, não deve ser confundida com as verdadeiras pimentas. Muito decorativa, exala um aroma doce e picante quando é quebrada e é frequentemente misturada a outras variedades. Vai muito bem com queijos, saladas, massas e moída, é muito utilizada em sashimis.
Quantidade: 1/4 colher de chá para 1/2 k de peixe ou saladas


dicasereceitas.com
Raiz Forte: Nativa dos países do Norte e Leste Europeu, as raízes crescem no outono e dizem que seu sabor aumenta no clima frio. Foi utilizada na Idade Média como planta medicinal e é usada como condimento picante em salsichas, carnes assadas, peixes e ostras, saladas e substituta do wasabi na culinária japonesa.
Quantidade: 1/2 colher de chá para 1 k de galinha ou carne
                   1 colher de sopa para o molho de raiz forte




 

fogaodomineiro.blogspot.com
Sementes de Papoula: Trata-se das sementes da flor de papoula da qual se extrai também o ópio. O sabor das sementes lembra avelã e são muito usadas na Europa, Oriente médio, Índia e América do Norte. Vai bem em pães, biscoitos, bolos, massas, molhos de carne, saladas e peixes.
Quantidades: 1 colher de chá na preparação de pães ou muffins.
                    2 colheres de chá em queijos cremosos.




mangiachetefabene.wordpress.com


Sumagre: Arbusto decorativo que cresce por todo o Oriente Médio.
As bagas tem cor vermelho-tijolo e são usadas em inúmeros pratos. O sumagre é um dos ingredientes do zahtar. Vai bem em peixes, carnes, frangos, saladas vegetais e arroz.
Quantidades: 3/4 de colher de chá para 2k de peixe ou 1 k de carne







www.urucumdaamazonia.com.br
Urucum: Utilizado na cozinha da América Latina como corante e suave aromatizante e na Europa na coloração dos queijos, o anato (urucum) cresce por toda a América Central e do Sul. A semente vai bem com legumes, peixes e carnes, como colorífico é utilizado no arroz, óleos, farofas etc.
Quantidade: 1 colher de chá para 1 xícara de arroz
                   2 colheres de sopa para 1/2 k de carnes.








fuleiragem.typepad.com

Zimbro: Os principais produtores são Hungria e Itália. Além de ser uma planta medicinal é considerada também uma planta mágica e guardiã de maus espíritos. Os frutos acrescentam sabor picante aos assados e cozidos de carnes em geral. O óleo é usado na destilação de bebidas destiladas e os frutos em conservas.
Quantidade:1/2 colher de café em 1/2 k de carne
                 1/2 colher de café em 1,5 k de assados e molhos de carne.




Fontes: Ervas e Especiarias - Linguanoto
         Guia das Especiarias - Craze

















quinta-feira, 26 de maio de 2011

Sopa de Batata

Ingredientes:
1 colher (sopa) de manteiga
1 colher (sopa) de azeite
1 alho-porró cortado em fatias finas
6 batatas médias em cubos médios
2 litros de caldo de legumes
200 ml de creme de leite fresco
1 pitada de noz-moscada
Sal e pimenta-do-reino a gosto


Sugestão de Guarnição: Queijo parmesão ralado a gosto
                                        200 gr de bacon fatiado:
Coloque 2 folhas de papel absorvente sobre um prato refratário e disponha as fatias de bacon lado a lado. Cubra com mais 2 folhas de papel absorvente. Leve ao microondas por 3 minutos na potência alta. Retire os papéis e quebre as fatias em pedacinhos sobre outro papel.


Preparo da Sopa: Em uma panela, coloque a manteiga, o azeite, o alho-porró e refogue-os até ficarem macios. Em seguida, junte as batatas e mexa por alguns minutos. Acrescente o caldo de legumes e deixe cozinhar até as batatas ficarem macias. Retire do fogo e espere amornar um pouco. Transfira para o liquidificador e bata até obter uma mistura homogênea. Coloque o creme de volta na panela, acrescente o creme de leite fresco e o restante dos temperos.


Mais é Bommmmmmmmmm!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

terça-feira, 24 de maio de 2011

Sopa de Abóbora com Carne Seca

Hoje mexendo nas fotos mais antigas para dar uma "organizada" achei algumas dos meus sobrinhos americanos, como cresceram! De repente me deparo com essa foto, que lindos!
Que cores, que abóboras maravilhosas e...
que vontade de comer algo com abóbora....
Já sei!!!!!! Sopa de abóbora, com esse comecinho de frio, quer melhor?




Ingredientes:
Para a sopa:
700 gr de abóbora japonesa ou comum descascada e cortada em cubos grandes
1 colher de sopa de Manteiga integral sem sal
2 colheres de sopa de azeite
1 cebola média picadinha
1e 1/2 litro de caldo de legumes
1 pitada de noz-moscada em pó
1 pitada de canela em pó
1 colher de café de gengibre fresco
Sal e pimenta-do-reino em pó branca a gosto
1 xícara de creme de leite fresco
Para a carne seca:
500 gr de carne seca
1 cebola picadinha
1 dente de alho picadinho
3 colheres de sopa de azeite
½ maço de salsinha bem picadinha



Preparo:
Sopa:
Descascar e cortar a abóbora em cubos médios. Reservar. Cortar a cebola bem miúda. Numa panela, em fogo baixo, juntar a cebola com a manteiga e azeite até que fique transparente; juntar os cubos de abóbora mexendo bem.
Acrescentar o caldo de legumes aquecido e cozinhar até que a abóbora esteja macia. Bater no liquidificador com o caldo e voltar ao fogo com o creme de leite e o restante dos temperos, cozinhar até adquirir a consistência de creme leve. Ajustar o tempero.
Servir em sopeira, cumbuquinhas ou xícaras de chá. Salpicar a carne seca preparada e servir a seguir.


Carne Seca:
Coloque a carne seca para cozinhar em panela de pressão por 30 minutos.
Retire e descarte a água. Coloque novamente para cozinhar com água fervente por mais 40 minutos. Descarte novamente a água e desfie bem a carne.

Numa frigideira coloque o azeite e a cebola até murchar. Junte o alho até dourar levemente e acrescente a carne seca desfiada. Refogue bem e mexa até ficar bem sequinha. Ajuste os temperos. Desligue o fogo e junte a salsinha picadinha. Mexa bem e coloque na sopa a gosto.




Sugestões: Você pode servir sem a carne seca.
                       Substitua a carne seca por florzinhas de brócolis passadas no alho e azeite ou simplesmente salsinha picadinha.
                       Substitua a carne seca por uma colher de cream-cheese, requeijão ou mascarpone.