quinta-feira, 30 de junho de 2011

Moqueca de Peixe e Camarão à Baiana

Ingredientes:
1/2 k de postas de robalo (cerca de 4 postas)
300 gr. de camarão (Rosa - B)
2 dentes de alho picadinho
Suco de 1 limão
1 cebola grande cortada em rodelas finas
1 pimentão amarelo cortado em rodelas 
2 tomates firmes e maduros cortados em rodelas
1 vidro de leite de coco
2 colheres de sopa de azeite de dendê
1/3 de maço de coentro picadinho
Molho de Pimenta a gosto (malagueta, biquinho, tabasco, etc.)
Sal a gosto
Pimenta-de-cheiro a gosto (opcional)
Preparo:
Lavar as postas de peixe e os camarões em água corrente. Em seguida, secar ou escorrer, temperar o peixe e o camarão em recipientes separados, com o suco de limão, coentro e alho picado. Reservar.
Cortar os tomates, pimentão e cebola em rodelas. Temperar o peixe com sal. Em uma panela de barro, colocar alguns anéis de cebola, fatias de tomate e rodelas de pimentão formando uma cama para as postas de peixe. Temperar com um pouco de sal e colocar os peixes. Reservar os camarões. Arrumar em camadas, alternando os aromáticos com o peixe até terminar com os aromáticos. Finalizar com o leite de coco e o azeite de dendê. Levar ao fogo brando, em panela tampada por cerca de 20 minutos. Acrescentar os camarões e cozinhar por mais 7 a 10 minutos até que os camarões estejam cozidos e macios. Servir com a pimenta, arroz branco e farinha ou pirão.

Sopa Creme de Espinafre com Coco

Ingredientes:
1 cebola picada
1 colher de sopa de manteiga
2 litros de caldo de legumes
2 colheres de sopa de arroz lavado e escorrido
1 vidro de leite de coco
4 xícaras de folhas de espinafre limpas e higienizadas
Sal e Pimenta-do-reino a gosto
1 pitada de noz-moscada
½ xícara de coco ralado grosso fresco

Preparo:
Coloque a cebola e a manteiga em uma panela e leve ao fogo baixo, refogue por alguns minutos.
Junte um litro de caldo de legumes.
Acrescente o arroz e o leite de coco e cozinhe por mais 15 minutos, mexendo de vez em quando, para que o arroz não grude no fundo da panela.
Junte as folhas de espinafre temperando com sal, pimenta e noz-moscada. Cozinhe mais 5 minutos.
Deixe esfriar um pouco e bata no liquidificador. Pode ser servido imediatamente, mas se quiser um creme mais fino, passe pela peneira.
Coloque um pouco de coco ralado em cada prato servido.

O amarguinho do espinafre com o leve adocicado do coco, a cremosidade da sopa em contraste com a crocância dos flocos de coco... Acredite é muuuiiiiito boa!

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Cassoulet


Os feijões brancos chegaram à França, via Mediterrâneo, no século XIX; muito tarde na História da Gastronomia; mas, em tempo para que alguém na região do Languedoc tivesse a brilhante idéia de cozinhá-los com carnes diversas em um recipiente de barro chamado “cassole”, que deu origem ao nome Cassoulet. O que antes era uma comida grosseira para trabalhadores rurais, transformou-se numa das mais importantes e ricas receitas do mundo ocidental. A combinação básica do cassoulet é composta de feijão branco, carne de porco, tomate, alho, cebola e ervas. Sobre esta base, outros ingredientes foram acrescentados. Para Montagné o Cassoulet se divide em uma “Santíssima Trindade”: o seu “Pai” proviria de Castelnaudary, cidade batizada de “A Capital Mundial do Cassoulet”, no oeste do Languedoc entre Toulouse e Carcassone. O “Filho” proviria de Carcassone, cidade próxima do Golfo do Leão, onde se localiza Marselha. O “Espírito Santo” proviria de Toulouse. Os ingredientes estabelecem as diferenças. Em Castelnaudary, se usam várias partes do porco:  lombo, pernil, as lingüiças de diferentes formulações, o toicinho fresco, peito e coxas de ganso. Em Carcassone, usa-se o pernil de cordeiro. E em Toulouse, são acrescentados mais tipos de lingüiças e pedaços de pato. Basicamente, o similar francês para a nossa popular feijoada, o Cassoulet ao longo do tempo sofreu transformações e pode ser preparado de várias maneiras.
A minha receita predileta é uma misturinha da receita de Montagné e do meu jeitinho de fazer as coisas, assim,  por partes...devagar...
(Para oito pessoas)

Ingredientes:

1ª Parte:
1 k.feijão branco
Água filtrada em abundância
200 g de lombo defumado picado em cubos
1 cenoura
1 cebola grande espetada por quatro cravos da Índia
1 bouquet garni (tomilho, louro e salsa, amarrados num sache com um dente de alho)

2ª Parte:
200 gr de toucinho defumado
300 gr de costeletas de porco
250 gr de carne de cordeiro sem gorduras (pernil)
4 unidades de coxa e sobrecoxa de pato ou frango
Pimenta-do-reino moída na hora a gosto
Sal a gosto

3ª Parte:
1 cebola picada
2 dentes de alho picados
1 bouquet garni (tomilho, louro e salsa, amarrados num sache com um dente de alho)
6 colheres de sopa de polpa de tomates peneirada

4ª Parte:
200g de paio em rodelas
200g de lingüiça portuguesa em rodelas
2 xícaras de chá de dadinhos de baguete pré-tostados (croutons) ou farinha de rosca grossa.
cepageetcuisine.blogspot.com

Preparo:

Deixar o feijão de molho em água filtrada por cerca de quatro horas. Escorrer. Misturar ao feijão, o lombo e colocar num caldeirão com a cenoura, a cebola espetada por cravos e o primeiro bouquet garni. Cobrir com água e cozinhar os grãos até que estejam “al dente”. Paralelamente, colocar o toucinho numa panela até dourar. Retirar e reservar. Na mesma panela dourar as costeletas de porco, a carne de cordeiro temperada com sal e pimenta-do-reino e as sobrecoxas de pato ou frango. Retirar todas as carnes e colocar a cebola e o alho até dourar. Voltar as carnes à panela e acrescentar o segundo bouquet garni. Agregar a polpa de tomates. Cozinhar com a panela tampada, pingando aos poucos, o caldo dos feijões.

Quando as carnes estiverem macias, remover o bouquet garni e incorporar os feijões, a lingüiça portuguesa e o paio aferventado anteriormente. Cozinhar até o ponto de ebulição.
Opcional: Remover para uma caçarola de barro. Por cima, espalhar os croutons ou a farinha 
de rosca que, depois de assada em forno fraco, forma um crosta grossa e dourada. Ao ser servido, a crosta deve ser quebrada, para que caia dentro do prato e também seja saboreada. Levar ao forno fraco de 30 minutos à uma hora. Servir bem quente.


Molho de Tomate

super.abril.com.br
O molho de tomate é considerado um dos cinco "molhos-mãe" (béchamel, velouté, espanhol, holandês e tomate), ou seja, pode ser preparado em grandes quantidades e depois aromatizado, finalizado e utilizado em diversas produções diferentes.
Há várias formas de se produzir molho de tomate, com carnes, vegetais, utilizando azeite como gordura, óleo ou manteiga e até banha. 
Mas tem alguns aspectos importantes que devem ser levados em consideração:
  • Por haver tantas variações, os ingredientes devem ser escolhidos de acordo com a receita.
  • Os ingredientes básicos são sempre: tomates maduros, purê de tomate, uma gordura (azeite,óleo etc), fundo (caldo de carne, aves ou vegetais), sachet d'èpices ou bouquet garni.
  • A textura final deve ser levemente cremosa e quase opaca, mas quando processado terá cor marcante e um brilho leve.
  • O molho deve ter sabor forte de tomate, sem amargor, acidez ou doçura. Os ingredientes adicionados devem complementar o sabor sem se destacar.
  • O tomate possui alto grau de acidez, portanto utilize panelas e material não reativo, como o aço inoxidável.
  • Cozinhe em fogo baixo para não queimar o molho, levando em consideração a alta concentração de açúcar do tomate.
  • Evite a cocção excessiva para não concentrar demais o sabor do tomate
  • O molho de tomate é acompanhamento para produções crocantes (frituras), pratos à base de vegetais, massas e salteados (ver técnicas culinárias - métodos de cocção).
Ingredientes:
2 colheres de sopa de azeite
1 cebola grande picadinha
1 dente de alho picadinho
2 colheres de sopa de extrato de tomate
1 colher de chá de açúcar
100 ml de vinho tinto seco
250 ml de caldo de legumes
1/2 k. de tomate concassé (processo que consiste em tirar a pele, as sementes e  cortar em cubos - que não precisam ser perfeitos) ou 2 latas de tomate pelati
1 folha de louro
5 folhas de manjericão
1 galhinho de tomilho fresco
Sal e pimenta-do-reino a gosto
Preparo:
Aqueça o azeite e adicione a cebola mexendo até ficar transparente. Adicione o alho e doure. Junte o extrato de tomate e o açúcar e caramelize. Adicione o vinho e reduza a 1/3 . Faça um bouquet com o tomilho, o manjericão e o louro. Acrescente o tomate concassé, o fundo e o bouquet garni. Cozinhe em fogo lento por 30 minutos retirando a espuma que se forma com uma escumadeira (escumar). Remova as ervas quando estiver na consistência desejada e ajuste os temperos com sal e pimenta. Processe a mistura e ajuste a consistência (com mais - alongando, ou menos - reduzindo - a água).


Pensei num belo espaghetti para saborear esse molho, que tal?
Com muito parmesão ralado...



segunda-feira, 27 de junho de 2011

Pãozinho da Neuza

A Neuza é uma amiga querida que prepara essas coisinhas gostosas e faz uma boa surpresa batendo na porta da gente com o pãozinho recém-saído do forno...
Percebe-se que no preparo do pão tem amor, alegria e carinho de sobra!
Resultado: É sentar e comer sem parar! Delícia!!!
Ingredientes
Fermento:
50 gr de fermento fleischmann
2 copos de água morna
1 xícara de farinha de trigo
Preparo:
Juntar os ingredientes, cobrir e deixar crescer por 30 minutos.
Ingredientes
Pão:
1 ovo
1 colher de sopa de sal
1 colher de sopa de açúcar
1 colher de sopa de manteiga
Farinha de trigo (mais ou menos 1 K.)
Preparo:
Acrescentar ao fermento já crescido, o restante dos ingredientes do pão. Amassar bem, dar formato aos pãezinhos, colocar em assadeira e deixar crescer até dobrar de volume. Assar em forno preaquecido (200º C).
Passou um cafezinho enquanto assava o seu pãozinho?
Assou? Retire do forno e passe uma "manteiguinha" salgada......
Depois me conta...

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Pipocas Doces

Pipoca é sempre bom!
Em época de festa junina, melhor ainda!
E se forem essas delícias doces, ninguém resiste!!!!!!!


Pesquisei algumas diferentes receitas de pipoca doce e cheguei em excelentes resultados: 
A pipoca do Jamie é temperada com açúcar aromatizado por especiarias, deve ficar uma delícia!
As bolas de pipoca são de marshmallow e peguei a receita no blog da Karina (gostei muito)!
A pipoca caramelada achei sensacional! É da Flávia e o endereço do blog está na receita.
A pipoca doce e de chocolate são mais ou menos parecidas em quase todos os sites e livros, mas o resultado parece tão bom quanto às outras, além de ser mais simples! Ótimas!!!
Não testei nenhuma, que tal testarmos juntos?


1 - Pipoca do Jamie Oliver
Ingredientes:
Açúcar temperado:
3 folhas de louro
Raspas da casca de 2 laranjas
Raspas da casca de 2 limões
6 cravos da Índia
½ colher de chá de canela em pó
½ noz-moscada
1 vagem de baunilha
1 kg de açúcar refinado
Para uma tigela de pipoca:
Azeite
1 colher de sopa de manteiga
250g de milho da pipoca
6 colheres de sopa de açúcar temperado
Preparo:
Açúcar temperado
Bata as folhas de louro, laranja, limão e todos os temperos em um processador de alimentos. Uma vez bem misturado, adicione o açúcar e mexa bem para obter o açúcar temperado. Coloque o açúcar em uma assadeira, espalhe uniformemente e deixe secar por algumas horas.
Quando o açúcar estiver seco passe por uma peneira para separar os pedaços maiores de especiarias. Coloque o açúcar peneirado em um recipiente fechado.
Obs: Você pode usar este açúcar para muitas coisas: adoçar o mingau, polvilhado sobre bananas assadas ou para fazer um creme Chantilly. O açúcar vai se manter por um bom tempo
Pipoca
Coloque um pouco de azeite e a manteiga em uma panela grande em fogo alto. Assim que a manteiga derreter, adicione a pipoca e mexa bem. Tampe a panela e deixe por alguns minutos. Agite a panela a cada 30 segundos ou mais para se certificar que toda a pipoca frite junta. Coloque o açúcar temperado em uma tigela grande e quando a pipoca estiver pronta, junte ao açúcar e misture muito bem. Sirva a pipoca em uma tigela grande, em pequenas taças, cones ou saquinhos.

2 - Bolas Coloridas de Pipoca
(karinasba.blogspot.com)
nuok.it
Ingredientes:
8 xícaras (chá) de pipoca estourada (aproximadamente 200 gramas de milho)
1/4 de xícara (chá) de margarina
250 gramas de marshmallow
6 colheres (sopa) de suco em pó (qualquer cor e sabor)
Preparo:
Coloque a pipoca pronta em um recipiente grande e reserve.
Derreta a margarina com o marshmallow em fogo baixo, junte o suco em pó misturando bem para dissolver.
Despeje o marshmallow derretido sobre a pipoca e misture bem.
Unte as mãos e forme bolas com as pipocas. Se preferir embale em papel celofane transparente.

3 - Pipoca Caramelada
(receita de simplesmentedelicia.com)

blogdoacucar.blogspot.com / vivendosaudavel.com
Ingredientes:
1/2 copo de milho de pipoca
5 colheres de óleo de canola ou girassol
2 copos de açúcar mascavo, bem apertado no copo
1 copo de manteiga sem sal (200 gramas)
1/2 copo de Karo (xarope de glucose)
1 colher de sobremesa de sal
1 colher de sobremesa de bicarbonato de sódio
Preparo:
Preaqueça o forno a 100°C. Isso é provavelmente a temperatura mais baixa do seu forno e na maior parte dos fornos/fogões de uso doméstico no Brasil, não tem nem marcação no botão do forno. Mas é só acender o forno e levar o botão até a mínima temperatura antes de apagar. Numa panela bem grande, aqueça o óleo em fogo médio/alto. Quando o óleo estiver quente, jogue dentro 3 ou 4 grãos de milho e tampe a panela. Quando esses grãos pipocarem, ponha o resto dos grãos todos, tampe a panela e tire do fogo (mas deixe o fogo ligado!). Conte até 30 e volte com a panela ao fogo. Isso vai permitir o óleo ficar na temperatura certa. Quando os milhos estiverem pipocando ferozmente, mexa a panela de um lado para o outro (e não de cima para baixo!). Quando acabarem de pipocar, retire do fogo e entorne todas as pipocas numa vasilha grande, levemente untada de manteiga. Retire qualquer grão de milho que não tiver pipocado. Deixe esfriar e cubra com filme plástico.
Numa panela média ponha a manteiga, o açúcar mascavo, o Karo e o sal. Leve ao fogo médio e mexa de vez em quando até começar a borbulhar. Quando borbulhar pare de mexer e deixe o caramelo engrossar por 5 minutos. Se você tiver um termômetro de cozinha, cozinhe o caramelo até 120 graus. Retire do fogo, ponha o bicarbonato e mexa bem com uma colher. A mistura vai borbulhar ferozmente. Entorne tudo nas pipocas e mexa bem com 2 garfos untados de manteiga. Mexa até todas as pipocas estarem recobertas de caramelo.
Ponha as pipocas num tabuleiro (sem untar) e leve no forno pré-aquecido por 1 hora, mexendo a cada 15 minutos com os garfos. Retire do forno e deixe esfriar. Guarde em recipiente com tampa.

4 - Pipoca Doce
mimmas.com.br
Ingredientes:
5 colheres de sopa de óleo
5 colheres de sopa de milho para pipoca
5 colheres de sopa de açúcar
3 colheres de sopa de água
Preparo:
Colocar todos os ingredientes na pipoqueira.
Leve ao fogo médio, mexendo sempre e devagar.
A pipoca vai demorar um tempo maior para começar a estourar. Não se preocupe!
Quando começar a estourar abaixe o fogo e mexa o cabo da pipoqueira com mais rapidez, quando o intervalo de tempo entre os estouros da pipoca diminuir desligue o fogo.
Obs: O segredo da pipoca doce está na rapidez que você irá girar o cabo da pipoqueira quando estourar o milho; evitando assim, que o açúcar queime e deixe a pipoca com o gosto amargo. Então nesse momento abaixe o fogo e rode o cabo da pipoqueira até sentir que os estouros do milho estão diminuindo.

5 - Pipoca com Chocolate
emporioangelosalvador.blogspot.com
Ingredientes:
1 xícara de milho de pipoca
2 colheres de sopa de óleo
2 colheres de sopa de açúcar refinado
1 colher de chá de chocolate em pó
Canela a gosto
Preparo:
Pegue as duas colheres de açúcar, coloque em um cope e misture com o chocolate em pó. Reserve.
Numa panela com uns 25 cm de diâmetro, espalhe o óleo, coloque um único grão de milho de pipoca e espere este pipocar.
Depois que o primeiro grão estourar coloque o resto todo e, com uma colher de pau, mexa até que outro milho pipoque.
Assim que o segundo milho pipocar despeje a mistura de açúcar com chocolate e continue misturando até que outro milho pipoque.
Feche a panela. Se for uma pipoqueira, continue misturando. Se não, sacuda a panela para cima e para baixo, segurando a tampa até que todos os milhos tenham estourado. Coloque uma pitada de canela sobre as pipocas.

Pipocas Salgadas


Repentinamente os grãos começam a estourar, saltam da panela com uma enorme barulheira. Mas o extraordinário é o que acontece com eles: os grãos duros quebra-dentes se transformam em flores brancas e macias que até as crianças podem comer.

O estouro das pipocas se transformou, então, de uma simples operação culinária, em uma festa, brincadeira, molecagem, para os risos de todos, especialmente as crianças.
Rubem Alves

São inúmeros os modelos de pipoqueiras! 
As elétricas com modelos divertidos, nostálgicos ou super arrojados custam de R$ 100,00 a R$350,00/ 400,00. 
As panelas que vão ao fogo (prefiro) são de alumínio,alumínio fundido, tefal e custam em média R$30,00 a R$50,00.
Pipoca com Cubinhos de Parmesão
(receita de receitaculo.com)
Ingredientes:
Queijo parmesão (cortado em cubinhos de +ou- 1cm) a gosto
Milho de pipoca a gosto
Sal e óleo a gosto
Preparo:
Corte o queijo e deixe na geladeira em um pote aberto para endurecer.
Quando estiver durinho, coloque na panela o milho, o óleo, a pipoca, o queijo e o sal (cuidado com o sal, porque o queijo já é salgado).
Estoure a pipoca normalmente.
Pipoca com Bacon
(receita de tvtem.globo.com)
Ingredientes:
1 fio de óleo
2 colheres (sopa) de bacon, em cubinhos
1/2 xícara de milho para pipoca
Sal a gosto
Preparo:
Em uma panela grande, coloque o óleo e leve ao fogo alto para aquecer.
Junte o bacon e frite até dourar.
Acrescente o milho e deixe cozinhar, com a panela tampada, por cerca de 3 minutos, agitando a panela ocasionalmente.
Retire do fogo e transfira para uma tigela.
Tempere com o sal e sirva em seguida.
Pipoca sabor manteiga? Derreta um pouco de manteiga e use sobre a pipoca!
Outros sabores:
Gergelim torrado
Orégano
Tabasco
Queijo parmesão ralado
Pimenta do reino e raspas de limão
Curry em pó
Molho inglês
Shoyu
Alho torrado

Sugestão:
Feitas na hora, as pipocas ocuparam o lugar dos croutons dentro da sopa
revistacasaejardim

terça-feira, 21 de junho de 2011

Maquiagem para Festa Junina



Olha a bonequinha que pode ser copiada para as Festas Juninas!
Se quiser acrescente as pintinhas na bochecha.
"Despois é só dá uma vortinha prá arrumá um par e corrê prá dança quadrilha"

Maçã do Amor





Na primeira mordida, o doce, crocante e quente do caramelo, misturado ao frescor semi-ácido da maçã... Hummmm!!!!! É vibrante!

A linha sutil entre "brega" e "chic" se confunde e pode ser esquecida na presença desse clássico das festas populares. É um retorno à infância, à molecagem de se lambuzar até a última mordida... Delícia!!!











A Maçã do Amor foi criada pela família Farré e teve seu registro e sua patente em 1958.
Em 1960 foi colocada a primeira barraca de maçã do amor na marquise do Parque Ibirapuera, onde na época se brincava o Carnaval. Devido ao grande sucesso, veio o convite para participar com a barraca na primeira UD, que também era realizada num antigo pavilhão do Parque Ibirapuera. A partir daí veio uma longa história de presença da maçã do amor em feiras, eventos, parques e festas juninas, firmando-se em São Paulo como uma marca registrada da cidade e conhecida internacionalmente com o mesmo nome: Maçã do Amor.

Como é feita a tradicional maça do amor: 
Ingredientes:

3 xícaras de açúcar
1 xícara de água
1e½ xícara de glucose de milho
Corante alimentício vermelho a gosto (líquido ou em pó)

Pesquisei por outras receitas e encontrei mais duas bem interessantes e diferentes as quais, ainda não testei.
O modo de preparo é igual para todas as receitas.

Receita 2:
500 gr de açúcar
2 colheres (chá) de vinagre branco
1 colher (chá) de anilina

Receita 3:
2 xícaras e meia de açúcar
5 colheres de sopa de água gelada
1 colher de sobremesa de corante alimentício vermelho
1 colher de sobremesa de suco de limão

Manteiga para untar o prato ou assadeira

As receitas acima são para: 
6 maçãs pequenas e bem vermelhas
6 palitos de sorvete


Prepare as maçãs:

Lave bem as maçãs, enxágüe e seque.
Retire os cabinhos das maçãs e espete um palito de sorvete no lugar.
Reserve.

Como fazer a calda:
Em uma panela misture a água, o açúcar, o corante e a glucose de milho. Acenda o fogo e deixe ferver por 10 minutos para ficar uma calda que vitrifique na hora de passar a maçã.
Se tiver termômetro para doces, a temperatura da calda deve estar em 145 ºC. a 147º C (O ponto da calda é aquele logo após o derretimento do açúcar).
Quando ela estiver pronta, retire-a do fogo.
Para que não esfrie e resseque, mantenha um banho-maria pronto, caso necessário.
Segure as maçãs pelos palitos e mergulhe uma a uma inclinando um pouco a panela, para cobrir toda a maçã de uma só vez. Retire devagar e deixe escorrer o excesso da calda.
Em seguida, coloque-a rapidamente em uma assadeira abundantemente untada com manteiga.
Deixe esfriar e endurecer a casca de caramelo antes de servir.
e deixe esfriar normalmente.

Dicas: 
  • O ponto da calda é quando pingando um pouco da mesma num copo com água, a mesma deve formar uma bolinha dura.
  • Recorte quadrados de papel celofane transparente (30×30 cm), e enrole cada uma das maçãs amarrando com uma fitinha colorida ou do Bonfim.
  • Polvilhe as maçãs, depois de caramelizada, com confeitos ou granulados para dar um toque especial


Agora é só festejar!

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Festa Junina

  • Em uma festa junina moderna troque as bandeirolas por um varal de sisal com retalhos de tecidos. As tiras são presas com simples pregadores de madeira. Adorei isso!
  • No lugar de toalhas, caminhos de mesa amparam temperos, pratos e talheres deixados para os convidados se servirem. Você pode usar tecidos "composès", retalhos de chita, panos de prato trabalhados como antigamente.
  • Deixe o clima junino entrar com tudo na casa montando uma mesa farta com delícias típicas. A toalha deixa os pés do cavalete à mostra para dar um efeito rústico. O lampião de vidro tem flores colhidas no jardim e o varal é feito com retalhos de tecidos.
  • O quentão no bule de ágata, as cachaças e os refrigerantes ficam descontraídos em caixotes de feira livre decorados com tiras de tecidos e pregadores. O caixote pode ser usado também, para acomodar pinhões assados.
(Matéria baseada na Revista Casa e Jardim)

Fotos da Revista Casa e Jardim

  • Gosto de cones em festas infantis ou juninas. Eles são ótimos para acomodar as guloseimas como pipocas doces ou salgadas, amendoins doces ou salgados, balas de goma, pastilhas, paçocas. Além de tudo podem ser mimosos e coloridos, de papel ou tecido, liso ou estampado, de chita ou bandana, com fitas e laços para pendurar ou colocados em cestos, vasos, suportes. Ficam Lindos!!!

casaejardim.globo.com/ escritoriodearterio.com.br/apartamentoalugado.blogspot.com/ pixdonkey.com/ sonhosdekakaublogspot.com


  • Existem maneiras criativas de dispor os talheres em almoços, jantares ou brunchs informais. Uma delas é usar baldinhos galvanizados. Veja que estão forrados com guardanapo de tecido, o que dá um acabamento caprichado. Que tal aproveitar essa idéia para uma festa junina?
  • No almoço ou no lanche da tarde, o milho-verde vira uma festa com esta apresentação divertida: coloque as espigas em palitos de madeira e acomode-os numa floreira. Espete os palitos numa espuma floral, cubra o vaso com pipocas e boa colheita!Não é uma idéia genial, decorativa e prática para uma festa junina?
  • Copos de latão enfeitados com retalhos de juta e cordão de sisal podem ser aproveitados para acomodar docinhos diversos, como essa cocada mole.
  • No final da festa ofereça um mimo para seus convidados. Não precisa ser nada muito caro ou elaborado. Aqui, velas comuns, mas coloridas, foram amarradas com fitinha de veludo e arrematadas com um ramo de alecrim. É uma forma simples e carinhosa de agradecer a presença de cada um.                                                                                                                               (Matéria baseada na Revista Casa e Jardim)  

Que tal colocar o significado de cada cor na vela escolhida, já se entenderia como um presságio de "boa sorte" 
Vela AZUL - Simboliza a força, o poder, dinheiro, negócios, trabalho.
Vela AMARELA - Simboliza a troca, mudanças, a justiça e a sabedoria.
Vela ROSA - Para fortificar os relacionamentos afetivos e ativar a chama interior de sua alma gêmea. 
Vela BRANCA - Para a harmonia, paz, equilíbrio, a ascensão.
Vela VERDE - Para a saúde física, abundância, estimula a verdade e a calma.
Vela VERMELHA - Dinamismo, força, coragem e paixão
Vela VIOLETA - Representa a transmutação (transforma o negativo em positivo), liberdade, a espiritualidade.
Fotos revista casa e jardim