quarta-feira, 31 de outubro de 2012

A Cidade de Tiradentes


Tão pertico de mim e por incrível que pareça, só conheci agorinha mesmo! Eu bem que queria porque queria.... e não é que eu tinha razão!!!
A História
Suas antigas denominações foram "Arraial Velho de Santo Antônio", e "Vila de São José do Rio das Mortes" e cidade de São José del-Rei. O nome São José resulta de homenagens ao então príncipe de Portugal D. José I. A vila de São José resultou do desmembramento da vila de São João del-Rei em 1718. As lavras de São José del-Rei foram descobertas por João de Siqueira Afonso, em 1702, nos primórdios do século XVIII.
Ao ser proclamada a República, o governo republicano precisava de um herói que, segundo os novos governantes, representava esses ideais. A escolha caiu sobre o alferes Joaquim José da Silva Xavier, que além de tudo combateu um governo monárquico. Dessa feita, foi mudado o nome da cidade para Tiradentes. Tiradentes tornou-se um dos centros históricos da arte barroca mais bem preservados do Brasil, por isso voltou a ter importância, agora turística, na metade do século XX, foi proclamada patrimônio histórico nacional tendo suas casas, lampiões, igrejas, monumentos e demais partes recuperadas.
Os Monumentos



Calçamento
Várias ruas da cidade contam com calçamento singular, em pedra capistrana. O povo de lá chama as pedras de "solteironas", porque foram colocadas isoladas umas das outras.








Matriz de Santo Antônio
Tiradentes tem dentre suas igrejas a Matriz de Santo Antônio, construída em 1710 é a segunda igreja em ouro do Brasil, sendo a primeira em Salvador (BA), é uma das mais belas construções barrocas do país. No interior do templo há um órgão datado de 1788, considerado um dos quinze mais importantes do mundo.




Prefeitura Municipal
Único da cidade com dois andares e uma água-furtada.




Antiga Cadeia Pública
Construída em 1833 e 1845, no local da velha cadeia incendiada, é um prédio sólido e austero com janelas de cantaria protegida por pesadas grades. A Vila de São José foi uma das poucas a possuir a cadeia em prédio próprio, separada do prédio da Câmara Municipal.







Câmara Municipal
Localizada próxima à Matriz, construída em meados do século XVIII, servia para abrigar a administração pública no período colonial e imperial.


Casa da Cultura
Construída no século XVIII, possui microfilmes de 280.000 documentos referentes ao Brasil Colônia.
Fundação Oscar Araripe
Exposições de pintura temporárias e permanentes.
Ponte sobre o Ribeirão Santo Antônio
Com arcadas romanas, construídas em pedra sobre o Ribeirão Santo Antônio - século XVIII.
Monumento a Tiradentes
Localizado no Largo das Forras, segundo monumento a homenagear o herói da Inconfidência, construído 1892.
Nossa Senhora das Mercês
Capela rococó do final do século XVIII, com altar multicolorido, dois forros em pintura rococó. Pertencia à irmandade dos pretos crioulos, ou seja, nascidos no Brasil.
São João Evangelista
Capela pertencente à irmandade dos Homens Pardos (mulatos), tem fachada simples e três altares em seu interior. Os altares laterais são em estilo rococó, datáveis do princípio do século XIX e o altar-mor possui fragmentos de talhas de vários estilos.
Nossa Senhora do Rosário
Capela construída em cantaria (pedra), em lugar da capela primitiva, tem três altares de talha de meados do século XVIII e os santos negros São Benedito, Santo Antônio de Cartagerona e Santo Elesbão.
Casa do Padre Toledo
Museu da Fundação Rodrigo Mello Franco de Andrade, ligada à UFMG. O prédio é uma construção do final do século XVIII, com esquadrias em cantaria lavradas. Nesta casa morreu Padre Toledo, um dos cabeças da Inconfidência Mineira.
Santuário da Santíssima Trindade
Sua construção data de 18 de outubro de 1822.
Chafariz São José
No início da ladeira que leva à Igreja Matriz, localiza-se o chafariz, construído em 1749 para abastecer a então vila com água potável, também era utilizado para lavagem de roupa e para bebedouro de animais, principalmente cavalos. Possui um aqueduto construído pelos escravos da época, que traz a água de uma nascente a 1 quilômetro de distância.
Estrada de Ferro Oeste de Minas
Atualmente liga São João del-Rei a Tiradentes foi inaugurada em 1881 com a presença do Imperador Dom Pedro II, funcionando ininterruptamente até hoje. A linha foi construída em bitola de 76 cm. O trem é puxado por locomotivas a vapor popularmente conhecidas por "Maria Fumaça". Hoje somente o trecho de 12 quilômetros que liga São João del-Rei a Tiradentes está em funcionamento. Os trens partem nas Sextas, Sábados, Domingos e feriados às 10h e 15h de São João del-Rei e 13h e 17h de Tiradentes.
Balneário de Águas Santas
Localizado do outro lado da Serra de São José, possui um parque contando com infra-estrutura para o lazer, hotéis e restaurante. A água é radioativa e excelente no tratamento de diversos males. (fonte texto: wikipedia)


Gastronomia:
O circuito de gastronomia de Tiradentes fez 15 anos de existência e foi um dos pioneiros a criar esse tipo de evento no Brasil, levando a alta gastronomia para ruas e praças. O evento abrange a tradicional culinária mineira. Acontece normalmente no final do mês de agosto.




Chico Doceiro

Dentro de uma modesta cozinha, Seu Chico prepara os doces desde 1965, todos os dias. Ao entrar na pequena lojinha, você vê ao fundo, a simpática e encantadora figura de Seu Chico mexendo um enorme tacho no fogão à lenha. Simpático, gentil, solícito, Seu Chico conta pequenos segredinhos para as incríveis delícias que a gente encontra ali. Seu carro-chefe é o canudinho de doce de leite, crocante e leve por fora, com recheio extremamente cremoso que derrete na boca. Além do canudinho, você vai encontrar cocadas, beijinhos, cajuzinhos, doce de abóbora... hummm!!!! Infinitas gostosuras imperdíveis!
Rua Francisco P de Moraes, 74


Como Chegar





De São Paulo (SP) para Tiradentes (MG):
490 km

De Bragança Paulista (minha cidade) para Tiradentes: 404 km

Do Rio de Janeiro para Tiradentes: 323 Km 












Amanhã conto mais sobre os maravilhosos restaurantes que experimentei, ok?

Nenhum comentário:

Postar um comentário