quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Na Estrada Real


São João Del-Rei
Chafariz da Legalidade, Ponte, Piso "pé-de-moleque", Limpador de botas na entrada da Igreja, Pelourinho, Solar dos Neves
Curiosidades: 
As pedras do chão são chamadas de pé-de-moleque e os mineiros nos contam duas versões: a primeira conta que as senhoras preparavam os doces e colocavam nas janelas para secar. As crianças acabavam pegando os doces sem pedir e as senhoras diziam "pede moleque, pede"!
A segunda versão conta que os escravos meninos caminhavam pelas ruas descalços e assim seus pés enchiam de bolhas, daí o nome do doce "pé-de-moleque".

Mais uma curiosidade: diferença entre solar e sobrado
Solar = só lar
Sobrado = comércio embaixo e residência em cima.
Fundada no início do século XVIII, é dona de um dos mais belos patrimônios históricos e culturais do estado. Entre tantos, ganham destaque a Igreja de São Francisco de Assis com suas palmeiras imperiais, a Catedral Basílica de Nossa Senhora do Pilar, Igreja do Rosário, Igreja de Nossa Senhora do Carmo, Rua Santo Antônio, Rua Direita, Ponte da Cadeia, Prefeitura, Museu Regional e o complexo da estação ferroviária, que guarda relíquias que fazem parte da história ferroviária do Brasil. A Maria Fumaça que circula Sexta, Sábado, Domingo e Feriados até Tiradentes tem horário de saída às 10 e 15 Horas. A terra onde os sinos falam guarda a tradição musical em suas orquestras bicentenárias (Lira Sanjoanense, Ribeiro Bastos) além a do artesanato em estanho, sendo a única cidade do mundo a utilizar este metal para a produção de artefatos domésticos.
Detalhes da Catedral em ouro
Curiosidades: 
Casas com "eira e beira" (2 beirais), geralmente eram usados por pessoas de muitas posses. Daí o ditado: "fulano não tem eira nem beira", ou seja, não tem posses.

Outro ditado: "Feito nas coxas", contam que as escravas moldavam as telhas em suas coxas, algumas mais grossas, outras mais finas, portanto, não eram do mesmo tamanho, daí o ditado, ou seja, feito de qualquer maneira, sem capricho. (mas isso não significa que as escravas não eram caprichosas, hein!)
Fabricação de Estanho
Curiosidade: Para dar ao estanho aquele ar envelhecido, é usada uma mistura de:
25 l de água
1,5 l de ácido nítrico
1/2 l de ácido sulfúrico
600 g de sulfato de cobre
e, acreditem!!! 3 cervejas Antárticas (tem que ser Antártica)

Nosso guia em São João: Sebastião Avelino da Silva - Tel: (32) 9953 6314


Prados
Segundo a tradição local, as origens do antigo arraial de N. S. da Conceição dos Prados remontam do ano de 1704, quando se descobriu ouro naquela região e se construiu uma pequena capela. As principais atrações ficam por conta da Igreja Matriz, os belos casarões coloniais, a tradição musical através da Lira Ceciliana e o rico e variado artesanato em couro e Madeira.

Santa Cruz de Minas
Considerado um dos menores municípios do Brasil e inserida no Circuito Estrada Real, Santa Cruz de Minas tem em seu artesanato grande variedade de artistas nas áreas de pintura, cerâmica, madeira, estanhos e outros. Possui variada comida típica mineira além de ótimas hospedagens. Seus atrativos naturais são indispensáveis de serem visitados como a cachoeira do bom despacho que possui fácil acesso pela estrada real.
uol
Resende Costa
O Arraial da Laje, originário de um rancho de tropeiros, ganharia uma capela em homenagem a Nossa Senhora da Penha de França no século XVIII, em torno da qual se desenvolveu.
Lá nasceu e viveu José de Resende Costa Filho. Descendente de uma das famílias pioneiras do local, participou da Conjuração Mineira e deu nome à cidade criada em 1912.
Resende Costa é uma cidade que concentra grande quantidade de lojas que produzem e vendem artesanato têxtil. A cidade fica próxima a São João del Rei e Tiradentes, em Minas Gerais.

Lagoa Dourada
Lagoa Dourada, que tem sua fundação ligada ao descobrimento do ouro pelo bandeirante Oliveira Leitão em 1625, se tornou conhecida como “a capital do rocambole”. São muitos os pontos que vendem o doce, que pode ser encontrado em diversos sabores: além do tradicional, recheado com doce de leite, há a opção de goiabada, chocolate, e doce de leite com coco, ameixa, ou maracujá.
Mas afinal, como a cidade se tornou conhecida com a capital do rocambole?
A história começa com um descendente de imigrantes libaneses, o senhor Miguel Youssef. Depois de se casar com a lagoense Dolores de Mello, decidiu montar um botequim em Lagoa Dourada. Uma vez por semana, Miguel fazia um rocambole que era vendido como sobremesa.
Anos depois, seus filhos assumiram o bar. Um deles, Paulo Miguel, que morava em São Paulo e não participava dos negócios, veio visitar seus irmãos e os encontrou em dificuldades financeiras. Paulo Miguel largou o emprego na capital paulista e investiu no botequim: criou o “Bar e Hotel Glória”. Nessa época, o rocambole ainda era apenas um dos doces vendidos no bar, localizado numa esquina que servia como parada de ônibus interestaduais. Em 1965, Paulo Miguel criou uma caixa para que o viajante pudesse levar o rocambole junto de si. Com isso houve o aumento da demanda. Em 1975, com 45 anos de idade, Paulo Miguel sofreu um infarto. Com seu falecimento, os negócios entraram em decadência. A solução encontrada pela viúva Simone foi vender o bar.
Em 1981, Simone conseguiu levantar um capital e abriu o “Bar e Restaurante Rocambole”. Dois anos depois, um de seus filhos, Ricardo Youssef do Líbano, assumiu os negócios. Seu primeiro passo foi colocar várias placas pelas estradas de acesso a cidade, anunciando “o Legítimo Rocambole” de Lagoa Dourada. A idéia foi um sucesso. Turistas passaram a parar para comprar o doce. Tudo ia a mil maravilhas. Mas um acidente mudou novamente o rumo dos negócios.
Em 1996, Ricardo foi atingido por uma descarga elétrica durante uma tempestade, falecendo com 33 anos de idade. Com muita força e dedicação, Marise, sua esposa, continuou adiante o negócio iniciado gerações antes. Hoje, é ela a responsável em preservar a tradição do “Legítimo Rocambole” de Lagoa Dourada.
Na verdade, achei os recheios um pouco doces. Ficam bem melhores depois de gelados, e os melhores recheios são de goiabada e doce de leite. 
A receita da massa do rocambole, logo mais, ok?

Um comentário:

  1. Maravilha Simone, parabéns, você descreve muito bem tudo que tem por aqui, em Minas
    Mano

    ResponderExcluir