quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Escondidinho de Carne Seca


Imagine uma deliciosa surpresa escondida dentro de um recheio. Com essa receita, o prato ficou conhecido como “escondidinho”. Sua origem, no entanto, é um tanto quanto controversa. Alguns acreditam que a receita tenha sido criada em Pernambuco (posteriormente também apreciado em Minas Gerais e restante do Brasil).Para outros, o prato tem origem portuguesa, já que foram os lusitanos que trouxeram ao país a técnica para dessalgar a carne seca.
Na receita nordestina, o prato é feito com carne-de-sol, jabá (charque ou carne-seca), ou até de frango desfiado, coberto com purê de macaxeira (aipim ou mandioca) temperada com manteiga de garrafa e gratinada com queijo coalho.Com o passar do tempo a base, essencialmente de carne seca e mandioca, foi ganhando novas versões, também muito saborosas, como o escondidinho de bacalhau, frango, linguiça, carne vermelha, carne de siri, de cordeiro, camarão, peixes, legumes. E a cobertura também ganhou novos ingredientes, como batatas, mandioquinha ou abóbora. 
Então, aqui está a minha versão para todos os meus leitores e os amigos lá de Minas! Aí Mano, essa é prá você!!! 
Ingredientes:  
400 g de carne seca cozida e desfiada
1 cebola picadinha
3 dentes de alho picadinhos
3 colheres de sopa de azeite
2 tomates maduros picadinhos
2 xícaras de caldo de legumes
1 xícara de vinho tinto seco
Sal - se necessário
Pimenta-do-reino a gosto
Orégano seco a gosto
700 g de abóbora cabocha cortada em cubos
2 litros de caldo de legumes
1 xícara de creme de leite fresco
Sal e pimenta-do-reino a gosto
Queijo parmesão ralado a gosto
Preparo:
Coloque numa panela a abóbora cortada em cubos e o caldo de legumes. Cozinhe até ficar macia. Retire, passe por uma peneira e reserve o caldo numa tigela.
Esprema ou processe a abóbora, junte o creme de leite fresco, tempere com sal e pimenta-do-reino, mexa bem e reserve.
Numa frigideira, coloque o azeite, a cebola picadinha e leve ao fogo baixo até que a cebola fique transparente, acrescente o alho picadinho e deixe até dourar levemente. Junte a carne seca pré-cozida e desfiada. Refogue a carne por alguns minutos, junte os tomates picadinhos e uma xícara do caldo de legumes. Continue refogando até que os tomates murchem e acrescente o vinho tinto. Deixe que evapore o alcool um pouquinho, coloque o caldo restante e cozinhe até reduzir bem o caldo. Tempere com a pimenta-do-reino, o orégano e acerte o sal, se necessário.
Num refratário médio, coloque a carne seca e cubra com o purê de abóbora, polvilhe queijo ralado e leve para gratinar, até derreter o queijo.






terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Salada de Polvo do Kike

O Kike, ah o Kike!!! Amigo querido de altos papos gastronômicos! Falamos sobre boa mesa, bons vinhos, bons restaurantes, boas compras (comida é claro!)...
Com boa parte da família "di italiani", bons de cozinha, bons de garfo, bons de receber, o Kike com certeza teve a quem puxar, um "gourmet" por excelência! E para completar, o Kike também gosta de cozinhar!!! Conversa daqui, conversa de lá via face, altas horas, meu amigo de 25 anos, advogado, nas horas vagas prepara bons pratos, como essa salada de polvo que copiei aqui exatamente do jeitinho que ele me enviou!

 Hummmm!!!!!! Kike, delícia hein? 



"Ingredientes:
2 Polvos (+- 450 gramas cada)
Sal grosso
Gelo
200 g de tomate cereja
Azeite extravirgem a gosto
1 cabeça + 3 dentes de alho
1 cebola roxa
½ maço de hortelã
1 xícara de manjericão
1 limão Taiti + 1 limão siciliano
1 pimenta dedo-de-moça
½  pimentão vermelho
½ pimentão amarelo
(se quiser, pode colocar um pouco do pimentão verde também)
Sal a gosto
Pimenta-do-reino a gosto

  • Importante e necessário:1 Garrafa de espumante ou vinho branco (de boa qualidade) gelado!

à esquerda, o polvo ainda cru e à direita, o polvo mergulhado em água quente e fria alternadamente
Foto: Henrique Funck Lo Sardo
Obs: - A escolha do polvo: deve ser levado em conta o tamanho do polvo, o ideal é que ele tenha um peso com cerca de ½ kilo.
Preparo:
Lave o polvo em água corrente (eu deixo o polvo em um escorredor por mais ou menos 10 minutos, em água corrente).
(Abrir o vinho ou espumante e se servir)
Em seguida limpe o polvo esfregando sal grosso, para tirar a “gosma” da pele, limpe bem no meio dos tentáculos e corte a cabeça dele, depois disso, deixe mais uns 2 minutos sob a água corrente para tirar o sal grosso.
(Tomar um bom gole do seu vinho, ou espumante ou champagne)
Coloque cubos de gelo em uma bacia e reserve. Ponha água para ferver em uma panela grande. Quando a água estiver fervendo, coloque o polvo e alterne entre o recipiente com gelo e a água fervente por no mínimo duas vezes. Esse procedimento faz com que o polvo fique firme e conserve uma cor bonita depois de cozido. Depois deixe que cozinhe por cerca de 25 minutos com um pouco de sal e 1 cabeça de alho inteira só “machucada”.
(Tomar mais um bom gole da sua taça!)
Tire o polvo da panela, separe os tentáculos e corte em pedaços pequenos.
Numa frigideira, aqueça 3 colheres de sopa de azeite e 3 dentes de alho amassados com casca e tudo.
(Tomar outro gole da sua bebida!)
Foto: Henrique Funck Lo Sardo
Junte os pedaços de polvo e doure rapidamente. Corte os tomates em quatro partes, pique a cebola (eu deixo a cebola roxa em um recipiente com água e gelo para dar uma “amansada” no ardor), o alho picadinho, manjericão e hortelã picadinhos.
(Continue tomando sua bebida escolhida).
Misture estes ingredientes em uma tigela grande, junte também o polvo ainda quente, direto da frigideira. Tempere com sal, pimenta-do-reino, o suco dos limões, azeite extravirgem a gosto e a pimenta dedo-de-moça bem picadinha e sem sementes.
Deixe na geladeira por meia hora, para que todos os sabores realcem.
(Tomar mais um gole da sua bebidinha, antes de finalizar!)
Para acompanhar eu corto uma baguete em fatias, esfrego um dente de alho e azeite e coloco em na chapa para dourar.
(Terminar de tomar a garrafa servindo os convidados!)


Dica:
Por fim, deixo uma dica, na sexta-feira a noite, após o preparo da salada de polvo, preparei um risoto de lula como prato principal para o pessoal que estava jantando em casa, sendo assim, ao invés de preparar um caldo de peixe artificial para colocar no risoto, simplesmente usei a água na qual cozinhei o polvo, corrigindo com um toque de sal! Resultado? O melhor possível pra quem cozinha...não sobrou resquício do polvo nem do risoto!"
É isso aí Kike!
Foto: Henrique Funck Lo Sardo
Eu não tinha razão de homenagear meu querido amigo Kike aqui, no meu blog de culinária???

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Frutos do Mar


Minhas amigas sempre perguntam sobre o tempo de cozimento e modos de preparo dos Frutos do Mar. Como no sábado fiz meu arroz com camarão super especial, mais uma vez fui questionada sobre o tempo de preparo, então, decidi colocar aqui no blog, para que não haja mais dúvidas! 
Polvos e Lulas
Para os polvos, compre os menores, de até 1 kg, pois são mais macios. Para guardar na geladeira, embale em recipientes plásticos, entre camadas de gelo. Na hora de preparar, o tempo de cozimento: entre 5 e 25 minutos, deixa a carne mais dura, então o ideal é cozinhá-la até 5 minutos, ou então, deixar passar dos 25 minutos, para que a carne volte a ficar macia.
Preparo: cozido, grelhado ou salteado, seguindo a recomendação menor de tempo. Mas se quiser fazer um ensopado ou molho, deixe ultrapassar os 25 minutos para que o polvo absorva melhor os temperos e transfira seu sabor para o molho.
As lulas também devem ser acondicionadas como o polvo. No preparo, as lulas podem ser empanadas, grelhadas ou fritas, assadas com ou sem recheio, cozidas em líquido ou no vapor. O tempo de cozimento é semelhante ao do polvo: ou bem curto (até 5 minutos) ou longo (mais de 25 minutos).
Camarões
Pode servi-los cozidos em água ou em molho, salteados, grelhados com ou sem a casca, fritos, empanados e no vapor. O tempo de cozimento também é curto - entre 1 e 4 minutos, dependendo do tamanho do camarão.
Mexilhão e Vôngole
Guarde na geladeira por até 24 horas, em sua própria concha. Na hora de limpar, esfregue bem as conchas com uma escova sob água corrente. Um jeito fácil de abri-los é cozinhando com pouca água - as conchas abrem com o calor. Se elas não abrirem mesmo com o cozimento, significa que não estão frescas. Você pode servi-los crus, cozidos em água e sal, no vapor e também com vinho e temperos aromáticos.
Lagostas, Lagostins e Cavaquinhas
Tanto lagostins quanto lagostas e cavaquinhas podem ser cozidos, grelhados com a casca, em risotos, massas, saladas e salteados com temperos.
Na hora de comprar lagostas e cavaquinhas, sempre escolha as maiores, entre 500 g e 1 kg, pois sua carne é mais macia, e seu sabor, mais delicado. Suas caudas também podem ser encontradas congeladas - e aí, neste caso, use a técnica do descongelamento dentro da geladeira, por 24 horas.
Ostras
Pode servir as ostras "in natura", apenas com gotas de limão e pimenta, ou então em versões empanadas, fritas ou gratinadas.

domingo, 27 de janeiro de 2013

Carpaccio de Haddock


O termo haddock designa o peixe Melanogrammus aeglefinus, a mesma família do Gadus morhua, mais conhecido como bacalhau. O haddock vive nas águas frias do Atlântico Norte. Há espécimes de até 90 centímetros, mas no mercado a média está entre 40 e 61 centímetros e 19 quilos. Tem o dorso marrom esverdeado ou púrpura acinzentado e ventre prateado. Fresca, sua carne magra é branca e de sabor delicado. O haddock defumado é um dos alimentos emblemáticos da mesa britânica, junto com bacalhau e arenque. Na cura do hadoque não se usa tanto sal quanto na do bacalhau. A forma tradicional consiste de desidratação em salmoura leve e defumação. Grande parte do haddock capturado passa pelo processo de cura. É assim que ele é conhecido no resto do mundo, onde não existe o pescado fresco. Por isso, o smoked haddock - eglefino ahumado em espanhol oueglefin fumé em francês - é chamado apenas de haddock, ou hadoque em português. O termo, então, fora do local de origem, se refere quase que só ao peixe assim tratado. O filé tem fibras claras, macias e translúcidas com superfície alaranjada, dada por corantes alimentícios.
Fonte: http://caras.uol.com.br 
O Carpaccio

Ingredientes:
300 g de haddock defumado e fatiado para carpaccio 
Raspas de 1 limão siciliano
Suco de 1 limão siciliano
½ xícara de azeite extravirgem
Pimenta-do-reino a gosto
1/2 colher de chá de pimenta
1 colher de sopa de óleo de oliva
Grãos de pimenta rosa para decorar
Torradinhas, pão preto ou pão integral para acompanhar
Preparo:
Emulsione o suco de limão com o azeite e a pimenta-do-reino
Corte o haddock em fatias muito finas com uma faca afiada (ou compre fatiado) e junte a emulsão. Cubra com filme plástico e leve à geladeira 1 hora, no mínimo. 
Arrume as fatias de haddock em pratos individuais, coloque o molho, as raspas de limão, salpique a pimenta rosa e coloque fatias de pão ao lado. Sirva a seguir.
Dicas:
- Para fatiar finamente, carne ou peixe, coloque a peça inteira no congelador uma hora antes.
- Caso queira acertar o sal – CUIDADO – as carnes defumadas muitas vezes não necessitam de mais sal.


sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Farfalle com Presunto, parmesão e Manjericão

Olha só o manjericão do meu jardim!!!!!
Não dá desejo de massa? Nham Nham!!!!
Ingredientes:
400 g de farfalle
2 colheres de sopa de azeite
1 cebola grande em fatias finas
1 dente de alho picado
2 abobrinhas cortadas em palitos
150 g de presunto curado cortado em tiras
300 ml de creme fresco
100 g de queijo parmesão ralado
Sal e pimenta-do-reino a gosto
Folhas de manjericão a gosto
Preparo:
Coloque o farfalle para cozinhar em água fervente salgada, de acordo com o tempo indicado nas instruções do pacote (al dente). Escorra imediatamente, resfrie e reserve.
Aqueça o azeite numa frigideira e refogue a cebola até ficar transparente, acrescente o alho e doure. Junte os cogumelos, as abobrinhas, aumente o fogo e salteie por dois minutos. Reduza o fogo e coloque o presunto, cozinhando por mais dois minutos. Incorpore o creme de leite fresco e aqueça. Finalmente adicione o queijo, tempere a gosto com sal e pimenta-do-reino (não esqueça que o presunto e o parmesão são salgados). Acrescente a massa, aqueça e sirva com as folhas de manjericão.

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Salada Niçoise

Estou eu sentadinha no meu escritório em casa e olha só a visão que tenho do meu jardim, depois de tantos dias chuvosos ou ameaçadores:
Diga se não estava digno de parar com meu trabalho, sair no jardim e tirar outra:
Com toda essa inspiração, decidi então partir para uma saladinha deliciosa que sempre faço aqui em casa, só não coloco as cebolas:
A Salada Niçoise é uma especialidade culinária famosa de Nice agora encontrada em todo o mundo.
Ao contrário do que é servido em muitos restaurantes, tradicionalmente a salada niçoise não contém legumes cozidos, arroz, batatas ou feijão verde. Mas não existe uma receita oficial para esta salada, de modo que cada cozinheiro pode decidir sua própria receita.
Ingredientes:
1/2 maço de alface
atum em conserva
2 tomates cortados em quartos
10 azeitonas pretas
1 cebola roxa fatiada
60 g de vagem cozida
1 pimentão vermelho cortado em julienne
2 fundos de alcachofra
2 ovos cozidos cortados em quartos
60 ml de azeite extravirgem
20 ml de vinagre de vinho branco
Sal e pimenta-do-reino a gosto
Preparo:
Higienize as folhas. Rasgue em pedaços e reserve. Coloque os ovos para cozinhar. Cozinhe a vagem por 8 minutos em água fervente salgada. Passe por água fria, escorra e reserve. Retire os ovos, descasque, corte em quatro e reserve. Corte os fundos de alcachofra em lâminas, as vagens ao meio, os tomates em quatro partes, o pimentão em tiras finas. Prepare a vinagrete: misture os ingredientes e emulsione. Arrume as folhas na travessa ou em pratos individuais, sobre a cama de alface coloque as vagens, a cebola fatiada, a alcachofra, o pimentão, os ovos, os tomates, o atum no centro e envolva com a vinagrete.
Sugestão da chef: 
Se quiser usar o atum fresco. aqueça o forno a 180º C, coloque 300 g de atum sem pele, 50 ml de azeite, folhinhas de tomilho fresco, 1 folha de louro em uma pequena assadeira. Leve ao forno por 30 minutos e deixe esfriar dentro da assadeira. Retire e coloque numa grelha para retirar o excesso de azeite antes de utilizar.

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Salada Caesar

Ingredientes:
Para a Salada
1/2 maço de alface romana
40 g de croutons de alho
4 filés de anchova em conserva
30 g de lascas de parmesão
Salsinha picadinha a gosto
Para os Croutons
2 fatias de pão de forma sem casca
1 dente de alho amassado
30 ml de azeite extravirgem
Sal e pimenta-do-reino a gosto
Para o Molho
1 colher de chá de alho picado
Sal e pimenta-do-reino a gosto
60 ml de suco de limão
250 ml de azeite extravirgem
4 a 6 filés de anchovas em conserva
100 g de queijo parmesão ralado
2 gemas de ovo semi-cozidas
Preparo:
Lave e higienize as folhas de alface. Rasgue as folhas e reserve. 
Prepare os croutons:
Misture o alho, sal, pimenta e azeite. Corte os pães em cubos pequenos e passe na mistura anterior. Asse em forno preaquecido ou na frigideira até dourar.
Prepare o molho:
Amasse o alho com as anchovas, junte as gemas pré-cozidas (por 10 minutos - após levantar fervura), o sal e a pimenta. Misture bem
Acrescente o suco de limão e o queijo parmesão ralado. Emulsione com azeite.
Montagem da Salada:
Faça uma base com alface romana, as anchovas inteiras, o parmesão em lascas e os croutons. Polvilhe a salsinha picadinha. Sirva com o molho.
Sugestão: Para transformar essa salada numa refeição mais completa, adicione peito de peru, salmão ou pato defumado.
Gostinho do Interior

Campo Alegre 2008



Degustação de 14/01
4º vinho: Campo Alegre
Produtor: Michel Rolland & François Lurton
Região: Toro
País: Espanha
Tipo: Tinto
Uva: Tinta de Toro
Alcool: 15%
Ano: 2008
Potencial de Guarda: 20 anos
Preço: Acima de R$ 150,00

Visual negro e aroma quente.
Sabor Intenso de frutas negras, especiarias e madeira bem marcada, com taninos firmes e maduros. Vinho quente, prazeroso, equilibrado por cima e pode amadurecer longamente (mais 20 anos). Persistência longa, intensidade alta.
Opinião dos especialistas:
RP 90+ (2008)
WS 89 (2007)
JR 16 (2007)

Salmos 2009


Degustação de 14/01
3º vinho: Salmos
Foto: Carla Rodrigues Fontes Muniz



Produtor: Torres
Região: Priorato
País: Espanha
Tipo: Tinto
Uva: Garnacha, Mazuelo, Syrah
Alcool: 15%
Ano: 2009
Amadurecimento: 12 meses em barricas de carvalho francês
Temperatura de Serviço: 16 °C
Potencial de Guarda: 10 anos
Preço: Acima de R$ 150,00

Tinto de coloração rubi violácea, com aromas intensos a fruta em compota, chocolate, alcaçuz, alfazema, balsâmico e especiarias. Em boca é potente, denso e muito marcante. Taninos maduros, o volume de álcool e a boa acidez equilibram o corpo deste vinho.
Harmonização: grelhados nobres, o cordeiro, o javali, guisados e aves de caça em seu próprio molho.

Celeste Crianza 2008


Degustação de 14/01
2º vinho: Celeste Crianza
Foto: Carla Rodrigues Fontes Muniz


Produtor: Torres
Região: Ribera Del Duero
País: Espanha
Tipo: Tinto
Uva: Tempranillo
Alcool: 13,5%
Ano: 2008
Preço: Acima de R$ 100,00

"En las noches de vindimia, estas son las estrellas que vigilan y contemplan el nacimiénto de CELESTE!"
Produzido em Ribera Del Duero, este é um vinho de cor cereja intensa, com aromas e sabores de frutos vermelhos, ameixa preta em compota especiarias. Na boca apresenta-se agradável, equilibrado por cima e no nariz é intenso e potente com aromas de groselha preta, cassis, e carvalho que aparecem na baunilha, no tostado.
A persistência é longa e a intensidade alta. É um vinho seco, sem açúcar residual e bastante encorpado.
Sugestões: Servir entre 16-17 º C. Devido à sua característica bastante frutada e tânica, este vinho vai bem com uma grande variedade de pratos de carne, incluindo assados.

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Viña Esmeralda 2011


Degustação de segunda, dia 14/01 - Espanha - 
1º vinho: Viña Esmeralda 2011

Foto: Carla Rodrigues Fontes Muniz
País: Espanha
Região: Catalunya
Produtor: Bodegas Torres
Uvas: Moscatel (85%), Gewurztraminer (15%)
Álcool: 11,5 %;
Preço: - abaixo de R$ 50,00
O nome deste vinho é uma homenagem à cor do mar Mediterrâneo. O vinho permanece em barricas de inox, de onde é retirado apenas no momento de ir para o mercado. 
De visual amarelo palha claro com reflexos esverdeados, aromas de boa intensidade apresentando o típico toque de rosas na frente, com frutas cristalizadas, pêssego, lichia, laranja lima, pêra, mel, leve cravo e champignon. Paladar leve, suave (com algum açúcar residual), mas boa acidez para equilibrar, corpo leve, acidez média, limão confitado. Persistência moderada, agradável, perfumado e bem elaborado. 
Vinho de verão, delicioso, fresco e fácil de agradar.




   Querido mestre André, como sempre digo: você não erra nunca! Graças a Deus!!!

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Frango ao Molho de Cogumelos e Gengibre - "Hua- Hin"

Que tal um prato tailandês para variar o cardápio?
A culinária na Tailândia é uma arte de viver, até os antigos reis do Sião escreviam poesias sobre comida. Especiarias e cozinheiros renomados do mundo inteiro eram importados pelos reis e assim, aconteceram influências portuguesas, indianas, chinesas e japonesas, que contribuíram para desenvolver a culinária tailandesa. Os ingredientes utilizados na culinária são bem variados, tudo se aproveita: folhas de limão (kaffir lime), raiz de galanga (uma espécie de gengibre siamesa), erva cidreira, raiz e folhas de coentro, coco (leite e fresco). Utiliza-se também o molho de peixe (Nam pla), pasta de camarão, tamarido (pasta e suco). Assim como na China, a Tailândia utiliza a wok, conchas, espátulas, peneiras, cutelo e palitos de bambu. Além deles, o mortar e pestle fazem parte do dia-a-dia, na preparação de currys. Os mortares são preferencialmente de pedra e quanto maiores, melhor. 
Ingredientes:
500 g de peito de frango cortado em tiras
45 ml de óleo
250 g de cogumelos frescos (Shitake em tiras ou Paris em lâminas)
1 colher de sopa de gengibre fresco cortado em tiras finas
60 ml de molho de soja
1 colher de sopa de molho de ostra (opcional)
1 colher de sopa de açúcar mascavo
400 ml de caldo de frango ou legumes
1 xícara de água misturada com uma colher de chá de farinha
Cebolinha picadinha para decorar o prato (opcional)
Tempero Thai:
2 dentes de alho picadinho
2 colheres de sopa de raízes de coentro picadinhas
1 pimenta dedo-de-moça sem sementes, pequena, picadinha
Preparo:
Picar os ingredientes do tempero thai
Esquentar uma wok com o óleo, adicionar o tempero e fritar até soltar o aroma
Selar o frango nesse tempero, colocar o molho de soja e refogar mais um pouco. Caramelizar levemente o molho de soja.
Colocar o gengibre e continuar refogando. Colocar o caldo de frango ou legumes, os cogumelos, o molho de ostra (opcional) e reduzir o fogo.
Colocar o açúcar e deixar caramelizar um pouco mais. Juntar a mistura de farinha e água e deixar ferver até virar um creme com caldo grosso.
Salpicar a cebolinha (opcional) e tirar do fogo. Servir em seguida com arroz branco.

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Bombocado de Assadeira do Hermes










Essa receita preciosíssima é de um velho amigo, o Hermes, que sempre colecionou e apreciou maravilhas antigas. Ele tinha um antiquário e tem guardados valiosos de receitas  muito antigas! 
Ele diz que esse bombocado deve ser batido a mão, sem batedeiras ou liquidificadores, pacientemente, com uma colher de pau, à moda antiga.
O resultado é o melhor que já provei, indescritível!!!
Ingredientes:
5 ovos inteiros
3 gemas
3 copos grandes de açúcar
1 colher de sopa de manteiga
1 copo grande de farinha de trigo
2 colheres de sopa de coco ralado
2 colheres de sopa de leite
1 copo grande de leite
1 copo grande de queijo parmesão ralado
1 colher de sopa de fermento em pó
Preparo:
Numa tigela colocar os ovos e as gemas. Bater bem. Acrescentar o açúcar e bater muito bem, até ficar esbranquiçado. Juntar a manteiga amolecida e a farinha de trigo. Misturar muito bem. Hidratar o coco ralado nas 2 colheres de leite e colocar na massa com o copo de leite. Bater novamente, muito bem. Juntar o queijo e o fermento. Misturar e colocar a massa numa forma (21 cm x 31 cm) untada e polvilhada com farinha de trigo. Assar em forno preaquecido a 200º C por 40 a 45 min.
Agora, prepare um bom café e deleite-se!!!

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Rosquinhas de Coco

Como prometi ontem, aqui está a outra receita da minha amiga Neuza, do jeitinho que ela ensinou!
Para o lanche da tarde, a hora do cafezinho ou do chá, uma delícia!!!
Numa tigela juntar:
1 copo grande de leite morno
12 g de fermento biológico seco
3/4 do mesmo copo de farinha de trigo
Cobrir e descansar por 40 minutos
Após esse período, acrescentar:
1 ovo inteiro
1/3 do copo (grande) com óleo
1/4 do mesmo copo, com açúcar
1 k de farinha de trigo
Amassar até formar uma massa homogênea e desgrudar das mãos.
À parte, numa tigelinha, colocar:
2 colheres de sopa de manteiga integral sem sal
1 colher de sopa de açúcar
1 colher de sopa de coco ralado
Misturar até formar uma pasta.
Abrir bem a massa com as mãos, até formar um retângulo, distribuir a pasta de coco sobre o retângulo e enrolar, como um rocambole, delicadamente. Cortar o rocambole em fatias de 1,5 cm a 2,0 cm e colocar numa assadeira, sem untar. Cobrir e deixar crescer (para marcar o tempo de crescimento, formar uma bolinha de massa com os dedos e colocar dentro de um copo com água, quando a bolinha subir a massa estará pronta para ir ao forno).
Levar ao forno preaquecido a 250º C por volta de 30 minutos, até dourar e ficar bem assadinho.
Enquanto isso, preparar uma calda fina:
250 gr de açúcar para 500 ml de água
Para finalizar, regue as rosquinhas ainda quentes, com a calda quente. 
Hummmmm!!!!!!! Já pensou????




quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Sequilho

Já há algum tempinho coloquei aqui a receita do Pãozinho da Neuza, minha amiga querida que prepara gostosurinhas e nos faz sempre boas surpresas, cheias de amor, alegria e carinho! Pois é, aqui está mais um delicioso presente da Neuza:
Para o lanche da tarde, a hora do cafezinho ou do chá.
Ingredientes:
200 g de manteiga
200 g de fécula de batata
200 g de farinha de trigo
100 g de açúcar
Preparo:
Misture todos os ingredientes até formar uma massa homogênea. Prepare o formato desejado com a palma das mãos. Coloque em assadeira e leve ao forno preaquecido 200º C, até dourar e soltar da forma com facilidade. Resfrie sobre uma grade e, delicie-se!
Amanhã tem mais uma receita da Neuza, hein!!!

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Focaccia

A Focaccia é um pão rústico italiano, característico da região de Gênova. Sua massa tem consistência mole e são usadas as mãos para estendê-la. Após assada fica um pão largo, meio fino e muito saboroso. Algumas receitas levam leite. A Focaccia é ótima para lanches, piqueniques, aperitivos e em longas viagens.
Ingredientes:
200 g de farinha de trigo
4 g de sal
4 g de fermento biológico
150 ml de água morna
50 ml de azeite
Cobertura a gosto: alecrim, aliche, tomatinhos, sal marinho etc
Assadeira rasa forrada com papel manteiga untado

Preparo:
Misture a farinha e o sal em uma tigela média e reserve.
Coloque o fermento em uma tigela grande, adicione a água e misture até dissolver.
Junte a misture seca à mistura líquida e misture bem até obter uma massa meio pegajosa. 
Coloque um terço do azeite em outra tigela e ponha ali a massa. Cubra e deixe descansar por uma hora.
Depois desse tempo, dobre a massa duas vezes, cubra e deixe descansar por mais uma hora. Repita esse processo mais uma vez, acrescentando um pouco mais de azeite no fundo da tigela.
No final desse ciclo de descanso, a massa deve estar bem crescida e com bolhas.
Passe a massa para a assadeira forrada sem deixar estourar as bolhas de ar e deixe descansar por 10 minutos.
Pressione a massa com a ponta dos dedos, achatando e esticando, até obter um quadrado meio irregular e descanse por mais 10 minutos.
Espalhe as coberturas de sua preferência e regue com o azeite restante. Cubra novamente e deixe descansar por mais 20 minutos, até quase dobrar de tamanho.
Asse em forno preaquecido (250º C) por 15 a 20 minutos, até dourar bem.
Dica: Para saber se está prontinha, bata no fundo - o som deve ser oco. Se estiver pronta, coloque sobre uma grade. Caso não esteja, volte ao forno rapidamente por mais alguns minutos.





sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

O meu Reveillon de 2012

 Fizemos aqui em casa. Aqui, as fotos e o cardápio:


 Mesa montada para dois. Cantinho da superstição: pimentas, lentilhas, sal grosso, folhas de louro. Jogo americano com estampa de pimentas, sousplat vermelho, prato branco, guardanapo de linho vermelho com amarradinho de fitas coloridas e vários amuletinhos da sorte.
 Espalhadas pela mesa: moedas e velas
 Detalhe do guardanapo

Frutas Vermelhas


Cardápio:
Mix de Frutas Secas


Arroz Branco

Doce de Figo

Frutas Frescas - Uvas, cerejas, lichias, morangos e romãs

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

O meu Natal em 2012


Aqui, um resumo do Natal 2012 em casa:
Decoração:
Porta de Entrada
Lustres - Sala de Jantar e Hall de Entrada
A Árvore

Detalhes da Árvore
Botas, caixas de música, sino de cristal, caixinhas de presente, gansos de madeira, rena de prata
Papai Noel
Bonecos de Neve
 Castiçais
 Detalhes em arranjos
Detalhes


Cardápio:
Mix de Frutas Secas


Peru com Molho de Maçãs Vermelhas
Tender com geleia de Laranja e Gengibre
Cabrito à Caçadora
Arroz Branco

Pudim De Nozes da Dri

Rabanada
Biscoitos de Especiarias

Frutas Frescas - Uvas, cerejas, lichias, pêssegos, ameixas

Ficam as dicas e ideias para 2013!