quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Charutinho de Folha de Uva

Recheio
Ingredientes:
1/2 k de carne bovina moída
250 g de arroz lavado e escorrido
3/4 de xícara de salsinha picadinha
1 colher de café de pimenta-síria
1 dente de alho socado com um pouco de sal
1 colher de sopa de óleo
Sal a gosto
Preparo:
Refogar o arroz ligeiramente, com o óleo e metade do alho socado. Deixá-lo cru. Misturar o arroz, a carne crua, a salsinha picadinha, a pimenta-síria e o sal. Reservar.
Charuto
Ingredientes:
1/2 k de folhas de uva pequenas (frescas ou em conserva)
1/2 k de músculo
1 colher de sopa de manteiga
1 dente de alho socado com um pouco de sal
8 a 10 dentes de alho com casca
2 colheres de sopa de essência de romã
Suco de 1 limão
Sal a gosto
Preparo:
Em uma panela refogar os pedaços de carne, com o alho até dourar. Reservar na própria panela.
Lavar as folhas de uva e mergulhá-las em uma panela com água fervente para amolecerem. Se as folhas de uva forem em conserva, lavar várias vezes até retirar o sal. retirar as folhas da panela e escorrer. Retirar a nervura central e desprezar. Abrir as folhas de uva deixando a parte mais opaca para cima. Colocar o recheio no centro (1 colher de chá, mais ou menos), dobrar as laterais e enrolar em formato de charutinhos pequenos e delicados. É importante ficar uma folguinha pois o arroz vai inchar durante o cozimento.
retirar a carne da panela onde foi dourada. Na mesma panela dispor os charutinhos em camadas, deixando um espaço na parte central, para colocar os pedaços de carne refogados. Colocar alguns dentes de alho com casca sobre a última camada e cobrir com um prato de louça para que os charutos não bóiem. Encher com água filtrada, colocar o sal e a essência de romã.
Cozinhar em fogo brando por aproximadamente 1 e 1/2 hora. Se necessário, acrescentar mais água durante o cozimento. Quando já estiverem cozidos adicionar a manteiga e o suco de limão. Desligar. Servir quente acompanhado de coalhada fresca, ou coalhada seca, ou ainda coalhada com pepinos.
E, DELICIE-SE!!!


quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Château Beychevelle 4ème Cru Classe 2007


País: França
Região: Bordeaux
Sub-região: Saint-Julien
Produtor: Beychevelle
Tipo: Tinto
Uvas: Cabernet Franc./ Cabernet Sauvignon./ Merlot./ Petit Verdot
Alcool: 13%
Estimativa de guarda: 2030
Temperatura de preservação: 10-15 °C
Temperatura de serviço: 15-18 °C
Robert Parker : 89
Preço: acima de R$ 600,00
O Château:
Um dos mais imponentes Château do Médoc, o Château Beychevelle - classificado como 4ème Cru - conta com consultoria enológica de Jacques Boissenot, que juntamente com o corpo técnico do próprio Château zela pelos 90 hectares de vinhedos localizados nas zonas mais nobres de Saint-Julien. Diz a lenda que os barcos que navegavam pelo Gironde, ao passar em frente ao Château, baixavam suas velas em respeito ao poder do Duque Jean-Louis Nogaret de la Valette, seu proprietário no século XVI. Este ato era chamado de baisse voile , que finalmente derivou para o atual nome do Château Beychevelle.
Construído no século 17 e reconstruído pelo Marquês de Brassier em 1757, o Château Beychevelle é uma das jóias da região de Bordeaux. O château coloca grande ênfase na proteção do meio ambiente e saúde, e ganhou tanto o certificado da “Agriculture Raisonnée” (A agricultura sustentável é um processo que se aplica à produção agrícola, tendo em conta o bem-estar, saúde ambiental e animal. Na França, o conceito é regulamentado pelas autoridades públicas (Ministérios da Agricultura e Ecologia) e promovido pelo FARRE rede (Fórum Ambiental da Viticultura Sustentável), como o "Terra Vitis" em 2005.

Análise:
Cor: Rubi intenso com reflexos violáceos
Aroma: Frutas do bosque maduras, especiarias, algo mineral, um pouco de menta e notas tostadas, pelo tempo de guarda em madeira que é bem marcada.
Na boca é encorpado , com taninos equilibrados e elegantes. Final longo, intensidade alta, equilibrado por cima.
Harmonização: Carnes vermelhas assadas, cordeiro, guisado de coelho, aves de caça e queijos maduros.

Recomendo muito!!!! Degustação fantástica!!!!

domingo, 24 de fevereiro de 2013

Mise en Place

Se você quiser ter tempo para isso:
Hoje: Sentada na grama do meu jardim! E, depois,

Deitada na grama do jardim!


                                                    Você precisa aprender a fazer isso:
Mise en place é um termo francês que significa, literalmente, "posta no lugar".Você precisa aprender a fazer isso:

(Cuisine) (dans une cuisine de restaurant) la préparation du matériel et de la nourriture avant que le service commence.
(Cookery) (in a restaurant kitchen) the preparation of equipment and food before service begins.
(Culinária) (em uma cozinha do restaurante) a preparação de equipamentos e alimentos antes do início do serviço.

Consiste em uma etapa inicial para o preparo de um prato, na qual você separa todos os utensílios e ingredientes necessários para executá-lo. Os ingredientes devem ser medidos, e, se necessário, descascados, cortados, etc. É fundamental fazer a mise en place para a boa execução de qualquer receita, assim você não sai correndo atrás dos ingredientes quando as coisas já estão na panela. Um cozinheiro profissional não sobrevive sem a mise en place. Esse termo também pode ser utilizado para o montagem da mesa ou seja colocar os talheres, taças e pratos, etc.
Este, sem dúvida é o primeiro passo para se obter sucesso na produção de preparações culinárias. A organização do trabalho antes de começar a produção:
- Apanhar todo o material necessário (tábuas, tigelas, facas, colheres, panelas, processador, liquidificador, etc
- Separar os ingredientes necessários para a receita (você não quer ter a surpresa de faltar algum ingrediente, não é?)
- Conhecer a receita em questão
- Ter em mente a ordem de trabalho

Mise en place pronta pra a execução do prato

E olha que era uma simples carne de panela com batatas, tomates, ovos e azeitonas!!!
Atendendo ao pedido simplesinho do marido!
Resultado:
 E aqui, a sobremesa: Doce de Abóbora com Coco e Queijo fresco mineiro


sábado, 23 de fevereiro de 2013

Pão de Queijo


Tarde chuvoooosa!!!!! Sabem aquela chuvinha constante, deliciosa para tirar uma sonequinha? 
Mas, eu? Tirando sonequinha? Achei que pelo jeitão do dia compensava ir para a cozinha e preparar algo para o cafezinho da tarde. Lembrei de um amigo meu, mineirinho, que me perguntou de receitas mineiras no blog. Quando pedi a ele que me sugerisse algo, ele disse rindo: "pão de queijo, uai!!!"
Então, meu amigo mineirinho, lembrei de algumas receitas que deram certo, da dona Maria Stella Libânio, da Carla Pernambuco e aqui está, para você! Não sei se vai ficar igual aos pãezinhos de queijo que você está acostumado, mas, para mim ficou uma delicinha!!!!!

Ingredientes:
500 g de polvilho azedo
100 ml de água morna
80 ml de óleo de milho ou banha derretida (como ainda se faz em muitas casas de MG)
Leite, 180 ml
Sal a gosto
2 ovos inteiros
250 g de queijo minas curado ralado
Preparo:
Escalde, vagarosamente para não formar grumos, o polvilho com a água morna. Junte o leite, o óleo e o sal. Em outra panela, ferva e acrescente ao polvilho misturando com as pontas dos dedos, adicione os ovos e o queijo, misture muito bem.
Resfrie a massa, faça bolinhos (eu fiz pequenos e delicados, para tomar com um cafezinho) e congele (como ia assar hoje mesmo, deixei cerca de 1 hora no freezer, para que ficasse firme). Asse em forno preaquecido, na hora de servir.

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Venus Corte - La Universal - 2006


Venus La Universal foi fundada em 1999 por Sara Perez, filha de José Luis Perez proprietário da famosa vinícola do Priorato, Mas Martinet, e seu marido Rêné Barbier que leva o mesmo nome do famoso pai, o fundador de Clos Mogador.
Esta pequena vinícola possui vinhedos implantados em um solo singular composto essencialmente por granito. Solos ácidos e pobres em matéria orgânica, que dão origem à vinhos complexos e potentes.
Fonte: Wine Society



Produtor: Venus La Universal
País: Espanha
Região: Priorato
Sub-Região: D.O. Montsant
Safra: 2006
Tipo: tinto
Volume: 750 ml
Uva: Cariñena e Syrah
Teor alcólico: 14%
Carvalho (meses): 20 meses em barricas de carvalho francês novas de 1 e 2 anos.
Guarda: 10 anos
Temperatura de serviço: 16 a 18ºC
Robert Parker: 91 pontos (2006)
Preço: Acima de R$200,00

Análise:
Cor: cereja com reflexos violáceos
Aroma: pleno, quente, com notas de frutas do bosque em compota, especiarias – anis estrelado, cravo em pó, canela e mais um toque de “porão”, terminando com um fundo mineral – resina, acetona
Boca: belo equilíbrio por cima, com intensidade alta e persistência longa, sem açúcar residual, sem amargor, álcool presente, taninos redondos, corpo alto. Quente na boca, sedoso, macio e untuoso.

Harmonização:
Porco Preto, javali, carneiro, queijo manchego, castellano  e embutidos de sangue.

Meu querido mestre, André Monteiro, a escolha mais uma vez, foi inesquecível!!!!

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

As Receitas do Jantar Improvisado

A Mesa:
Entrada:
Saladinha de folhas verdes com Frutas Grelhadas e Aceto reduzido aromatizado com Cereja
Ingredientes:
Mix de folhas verdes (2 pequenas porções)
1 maçã
1 pêssego
Manteiga integral sem sal ou clarificada
Sal a gosto
Azeite extravirgem
Creme de Balsâmico com Cereja (opcional), ou o aceto balsâmico reduzido
Preparo:
Lave e higienize as folhas verdes. Rasgue-as com as mãos em pedaços que caibam na boca sem necessitar de corte.
Lave bem as frutas, enxugue e corte em 16 partes iguais, sem retirar a casca. Numa frigideira aquecida, pincele manteiga sem sal, coloque as frutas, doure levemente e vire para dourar do outro lado. Retire e reserve para a montagem dos pratos.
Monte pratos individuais, formando uma cama de folhas verdes para as frutas. Tempere com sal, azeite e algumas gotas do balsâmico.
Sirva a seguir.

Prato Principal:
Risoto "Bianco" e Picanha de Cordeiro grelhada com Crosta de Castanha
Ingredientes para o risoto:
1 cebola bem picadinha
1 colher de sopa de manteiga integral sem sal
1 colher de sopa de azeite
1 xícara de arroz arbóreo
1 xícara de vinho branco seco
1,2 l de caldo de galinha ou de legumes
50 g de manteiga integral sem sal gelada
1 xícara de queijo parmesão ralado
Preparo aqui, como todos os outros que já descrevi neste blog, com a diferença de que esse não leva outros ingredientes, é puro, branco, "bianco".

Ingredientes para a Picanha de Cordeiro:
1 picanha de cordeiro
Sal e pimenta-do-reino a gosto
Preparo:
Retire o excesso de gordura, se houver, mantendo parte dela. Tempere a carne com pimenta-do-reino e sal dos dois lados. Aqueça bem uma frigideira antiaderente, coloque um pouco de azeite e a picanha virada com a gordura para baixo. Sele, dourando bem. Vire e doure do outro lado, na própria gordura que derreteu da picanha. Coloque numa tábua para descansar antes de fatiar. Corte em fatias não muito finas e volte para a frigideira rapidamente. Vire do outro lado e coloque uma colher da pasta de castanha sobre as fatias da picanha, pressionando levemente. Tampe por alguns minutinhos e monte no prato com o risoto e o molho.
- Para a Crosta de Castanha de Caju:
1/2 xícara de xerém de castanha de caju
1/3 de xícara de farinha de rosca
1/3 de xícara de queijo parmesão ralado
Sal e pimenta-do-reino a gosto
Manteiga sem sal suficiente para dar liga e formar uma pasta
Preparo:
Juntar os ingredientes e formar uma pasta grossa, fechar com papel filme e levar para a geladeira até o momento de uso.
fonte: Umberto Restaurante
- Para o Molho:
600 ml de caldo de cordeiro ou de carne bovina
200 ml de vinho do Porto
Sal e pimenta-do-reino a gosto
1 colher de sopa de manteiga gelada
Preparo:
Reduzir 1/3 do molho, acrescentar o vinho e reduzir mais 1/3, ajustar os temperos e finalizar com a manteiga gelada na hora do serviço. 

Montagem:
Coloque uma boa colher de risoto no centro do prato e duas fatias da picanha de cordeiro sobrepostas de um lado. Ladeie todo o risoto pelo molho, salpique mais um pouquinho de queijo ralado sobre o risoto e sirva a seguir.

Sobremesa:
Gelatina Mosaico com Calda de Maçã
Ingredientes:
3 a 4 pacotinhos de gelatina de cores e sabores diferentes (abacaxi, limão, cereja, uva, por exemplo)
1 lata de leite condensado
1 lata de creme de leite
1 envelope de gelatina incolor sem sabor
2 colheres de sopa de geleia de maçã dissolvida em água e aromatizada com canela em pau (ferver formando uma calda rala e levar para gelar)
Preparo:
Prepare as gelatinas, separadamente, conforme as instruções da embalagem, diminuindo porém, 100 ml da quantidade de água sugerida, em cada preparo.
Coloque cada gelatina numa vasilha e leve para gelar até ficar bem firme.
Corte as gelatinas em cubinhos (no meu caso, foram cubinhos bem pequenos, porque enformei para servir individualmente).
Passe os cubinhos para uma outra travessa e reserve. No liquidificador, bata o leite condensado com o creme de leite. Hidrate a gelatina incolor conforme as instruções da embalagem e junte à mistura de leite condensado, bata mais um pouquinho e despeje a mistura no pirex reservado, sobre os cubinhos coloridos de gelatina. Leve para gelar até ficar firme.
Eu, enformei em pequenos potes para servir individualmente e na hora de servir, joguei um pouco da calda de maçã por cima.




terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Jantarzinho Improvisado!

Ontem foi niver do dato, que estava trabalhando em SP. Decidi então improvisar um jantarzinho hoje, para comemorarmos. Pensei novamente num risoto, como tenho desvendado todos os mistérios de um bom risoto para os meus leitores do face, acho que estou com "ideia fixa", sabem como é? 
Então, como fiz risoto com pesto no domingo, sabia que o arroz arbóreo eu tinha na dispensa. Precisava de uma carne para acompanhar o risoto, uma entradinha e uma sobremesa. Entradinha, fácil, fácil, pensei nas folhas verdes, com que? Hummm! Na geladeira, frutas, entre algumas variedades, encaro a maçã e alguns pêssegos. Perfeito!
Entrada:
Saladinha de folhas verdes com Frutas Grelhadas e Aceto reduzido aromatizado com Cereja
Entrada resolvida, vamos partir para o prato principal, como quero fazer risoto, vou no freezer procurar uma carne e vejo ali no cantinho das carnes vermelhas, duas picanhas de cordeiro. Não poderia ser melhor!!!!
Mais uma xeretadinha na dispensa e encontro: xerém de castanha, vinho do Porto e outras "cositas más".
Meu jantar está salvo e montado!
Prato Principal:
Risoto "Bianco" e Picanha de Cordeiro grelhada com Crosta de Castanha
Como tenho congelado um caldo de cordeiro, é só reduzir, adicionar o vinho do Porto, ajustar os temperos e finalizar com manteiga gelada. 
Agora, na minha opinião, o pior de se resolver - a sobremesa. Eu até poderia sair e comprar um sorvete, preparar uma calda e "finito", mas estou sem a menor disposição. Lembrei então de uma conversa com a minha amiga Cris. Ela estava particularmente entusiasmada porque tinha feito uma gelatina colorida, eu até ri na hora e ela me disse que adorava, lembrança de infância, eu acho. Comentei então com ela que meu marido também adoraria (tenho uma criança grande em casa) e, foi assim, com essa lembrança que decidi preparar uma gelatina colorida para ser desenformada individualmente (brincadeira de criança com ares de gente grande).
Sobremesa:
Gelatina Mosaico com Calda de Maçã
Olha o Resultado!!!
Claro que não poderia faltar a mesa, pensei em usar azul, ele adora o mar, tem que ser azul!
Detalhes dos pratos, jogos americanos, copos para água e vinho em azul (pela foto aqui, estou vendo a evidência de que ele já mexeu na mesa!!! - olha os talheres!!!)
Nos porta-guardanapos, escolhi a borboleta para mim e o zangão para ele, claro!!!
Amanhã, todas as receitas, ok?

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Risoto Básico com Pesto

Poderia ser melhor? Juntar um risoto básico com um pesto consistente e fresco? Vi essa receita no livro de Jamie Oliver e, corri para a cozinha!!! Copiei até o serviço, só não coloquei o alho no risoto básico, mas como o próprio Jamie comentou, a combinação de sabores é fantástica!
Ingredientes:
Para o Risoto
1,2 l de caldo de legumes
2 colheres de sopa de azeite
1 colher de sopa de manteiga sem sal
1 cebola bem picadinha
1/2 talo de salsão aparado e picadinho
400 g de arroz arbóreo
2 taças de vinho branco seco
Sal e pimenta-do-reino a gosto
70 g de manteiga sem sal
120 g de queijo parmesão ralado na hora
Para o Pesto
1/2 xícara de pinolis
1/2 dente de alho descascado e picado
Sal marinho e pimenta-do-reino moída na hora
2 xícaras de folhas de manjericão fresco picadinho
1 xícara de queijo parmesão ralado
Azeite de oliva extravirgem
Prepare o Pesto:
Coloque os pinolis numa assadeira e leve ao forno, sob uma grelha por 1 minuto, apenas para aquecê-los, sem dourar, isso acentuará seu sabor. Soque o alho com uma pitada de sal e as folhas de manjericão, ou passe num processador de alimentos Quando a mistura se transformar num purê, coloque numa tigela, esmague os pinolis e junte-os à mistura de manjericão. Adicione metade do parmesão e mexa lentamente, acrescentando o azeite aos poucos (use apenas o suficiente para dar liga e obter uma consistência cremosa. Tempere a gosto e a seguir, junte o queijo restante. Despeje mais um pouco de azeite e prove para certificar-se do sabor e consistência.
Prepare o risoto:
Mantenha o caldo aquecido. Em uma panela separada aqueça o azeite e a manteiga, adicione a cebola e o salsão. Cozinhe em fogo baixo, até que os vegetais estejam tenros, sem dourar. Acrescente o arroz e aumente o fogo, mexa até que o arroz fique ligeiramente translúcido. Adicione o vinho sem parar de mexer. Quando o vinho for absorvido pelo arroz, acrescente a primeira concha de caldo quente e abaixe um pouco o fogo. Continue colocando o caldo conforme for secando e mexa delicadamente para que o amido se solte. Esse processo leva 15 minutos, então, experimente o arroz para checar se está cozido, ele deve ficar tenro, mas com uma leve consistência. Ajuste os temperos com o sal e pimenta-do-reino, retire a panela do fogo, adicione a manteiga e o parmesão. Misture bem, tampe a panela e deixe descansar por 2 minutinhos. Sirva a seguir em pratos individuais, com uma boa colher de pesto por cima. Polvilhe pinolis e mais parmesão ralado.


sábado, 16 de fevereiro de 2013

Panqueca ou Crepe?



Depois de uma semana absolutamente impotente pela falta do meu computador, aqui estou de volta!!!!! E para falar de uma delícia chamada panqueca... ou crepe?

Panqueca é uma massa muito fina, feita com farinha, ovos, leite e óleo ou manteiga. Prepara-se no formato redondo em frigideira ou chapa, levemente untada. Pode ser recheada com cremes doces ou salgados, geléias, doces em pasta, carnes, cogumelos, frutos do mar e mais uma infinidade de outros ingredientes. Serve-se aberta ou fechada, acompanhada de molho ou não. Existem panquecas de menor diâmetro e espessura mais grossa (pancake), servidas abertas, tradicionais no café da manhã norte-americano, acompanhadas de manteiga, mel ou maple (xarope retirado da seiva de plátanos, árvore símbolo do Canadá). Na Itália são conhecidos como "crepelle", na Rússia, "blinis", que tradicionalmente acompanham o caviar. Na França, chamadas crepes, são feitas com massa muito leve e fina e encontrados por todo o país nas mais diversas formas (dobras) e com inúmeros recheios.
Origem:
A origem do crepe é antiga. Eles são consumidos de várias formas há cerca de 9.000 anos.  A primeira receita de crepe que se tem notícia foi encontrada na França, por volta de 1390 em um livro de culinária chamado "Manger de Paris" (Comida Parisiense). 


Ingredientes:
250 g de farinha
1 pitada de sal
1 colher de chá de açúcar
2 ovos levemente batidos
410 ml de leite
1 colher de sopa de manteiga derretida
Manteiga para fritar
Preparo:
Peneire a farinha, o sal e o açúcar em uma tigela e faça um buraco no centro. Misture os ovos e leite, juntamente com 125 ml de água e despeje lentamente no centro dos ingredientes secos, mexendo o tempo todo para incorporar a farinha até obter uma massa lisa. Misture a manteiga derretida. Cubra e leve à geladeira por 20 minutos.
Aqueça uma panela de crepe ou uma frigideira profunda antiaderente e unte com um pouco de manteiga. Despeje massa suficiente para cobrir a base da panela em uma camada fina e uniforme, retire o excesso. Cozinhe em calor moderado durante cerca de um minuto, ou até que o crepe comece a descolar-se do lado da panela. Vire o crepe e cozinhe do outro lado por 1 minuto, ou até ficar levemente dourado. Empilhe os crepes em um prato com pedaços de papel manteiga entre eles e cubra com papel alumínio, enquanto você cozinha o resto da massa.



domingo, 10 de fevereiro de 2013

Filé de Peixe à Livornesa


Receita ótima para esses dias de carnaval, é um peixe bem leve, com molho livornese, oriundo de Livorno, na Itália.
E melhor, é vapt, vupt!!!

Ingredientes:
4 filés de abadejo
Suco de 1 limão
4 colheres de sopa de azeite
4 dentes de alho picadinhos
1 alho porró fatiado
8 tomates firmes e maduros sem sementes, cortados em cubinhos
1 xícara de molho de tomates (pelati batido)
6 a 8 folhinhas de sálvia
Sal e pimenta-do-reino a gosto
½ xícara de azeitonas pretas sem caroço, cortadas em rodelas
Preparo:
Coloque os filés de peixe num pirex e tempere com sal, pimenta-do-reino, suco de limão e metade do azeite. Cubra com papel alumínio e leve ao forno preaquecido médio por 20 minutos.
Enquanto isso, numa frigideira junte o alho, mais o alho porró com o azeite restante e leve ao fogo baixo até que comece a dourar, acrescente os tomates picadinhos, a sálvia e refogue por alguns minutinhos, adicione o molho de tomates, tempere com sal e pimenta-do-reino. Cozinhe por alguns minutos cuidando para que os tomates picados não se desmanchem, junte então, as azeitonas picadinhas. Retire o peixe do forno e cubra com o molho. Sirva a seguir.

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

21 Ideias para você passar o Carnaval com muita Energia

Vai para a Folia? Precisa de Energia!
Para os foliões que não perdem um só dia de carnaval e tem um gasto energético elevado é importante não deixar de repor essa energia consumindo em todas as refeições alimentos ricos em carboidratos como arroz, macarrão, batata, pães. Inclua verduras e legumes e não esqueça das frutas na sobremesa.
Aqui, 21 ideias energizantes para você curtir o Carnaval sem perder o pique!



Simples Assim








Salada verde com Tiras de Filé Mignon Grelhado





Salada Caprese de Macarrão









Carne Fria muito Louca




Farfalle om Presunto, Parmesão e Manjericão






Fetuccine com Molica









Almôndegas ao Molho com Espaguetti




Arroz Bicolor de Forno






Arroz de Siri



Focaccia







Quiche de Espinafre








Ovos Benedict






Batata Recheada com Ovo e Creme de Emmental







O Sanduíche Light do Zeca








Croque Monsieur










Pastel de Forno




Rocambole da Melinha





Bolo de Chocolate







Bolo de Passas








Sorbet de Morango



Sorbet de Goiaba








terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Salada Verde com Nozes e Crisp de Bacon


Ingredientes:
4 fatias finas de baguete
1 dente de alho cortado ao meio
1/2 xícara azeite extravirgem
1 alface crespa grande ou uma mix de folhas
1e colher de sopa de vinagre de vinho tinto
1 colher de chá de mostarda Dijon
Sal e pimenta-do-reino (opcional) a gosto
1/2 xícara de nozes, cortadas em pedaços
140 g de toucinho fatiado

Preparo:
Preaqueça a grelha e esfregue o pão com o alho cortado para dar sabor. Regue um pouco de azeite nos dois lados de cada pão e, em seguida, grelhe até dourar. Deixe esfriar.
Higienize as folhas, escorra, seque e rasgue em pedaços do tamanho de uma mordida. Arrume numa tigela ou prato amplo. Numa tigelinha, misture o restante do azeite, o vinagre, a mostarda e emulsione.
Coloque as nozes em uma outra tigela e cubra com água fervente. Deixe por 1 minuto, escorra e seque.
Cozinhe o bacon em uma frigideira até ficar crocante, em seguida, retire da panela com uma escumadeira, coloque sobre papel toalha, espere esfriar um pouco, esmigalhe de leve e espalhe sobre a alface. Acrescente as nozes à panela e salteie por alguns minutos até dourar (sem deixar queimar), em seguida, adicione à salada. Coloque o molho na mesma panela e aqueça. Ponha o molho sobre a salada e misture bem. Adicione as baguetes torradas de alho para servir.


sábado, 2 de fevereiro de 2013

Chablis Premier Cru Fourchaume


Chardonnay é a casta dos grandes vinhos brancos da Borgonha e a uva que faz o Chablis produzido em vinte aldeias, localizadas entre encostas e planaltos. Os vinhos de Chablis são frescos, com um toque mineral muito agradável e abrem após dois anos de engarrafamento.
A denominação Premier Cru aparece no rótulo associado ao nome da aldeia. São quarenta comunas que recebem a denominação premier cru e a Fourchaume é uma delas:

Chablis Premier Cru Fourchaume 2010
Domaine Le Chatelain
Apelação
Chablis
País
França
Região
Borgonha
Tipo
Vinho Branco
Varietal
Teor Alcoólico

Chardonnay
13%











Cor de ouro brilhante. Aromas de maçãs cozidas, peras maduras aparecem no buquê e no palato. É equilibrado com um corpo médio. Textura redonda e acabamento médio. A acidez é de uma das primeiras coisas que você observa, juntamente com mineral e pedra espalhados pela sensação de boca longo. É um Premier Cru e vinho de vinha única.

Harmonização: Peixes brancos como o linguado, molhos de nozes ou amêndoas, salmão pocheado, crustáceos. Perfeito com ostras!

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Salada de Grão-de-bico e Bacalhau


O bacalhau reduz o colesterol ruim e ajuda na prevenção de doenças cardiovasculares.
Quanto ao grão de bico, é sabido que dentro desse pequeno grão há uma boa dose de felicidade. Além de ser rico em nutrientes e fibras, ele ajuda a espantar a depressão. 
Junte os dois e obtenha benefícios fantásticos para sua saúde!

Ingredientes:
300g de bacalhau
300g de grão-de-bico cozido e escorrido
½ xícara (chá) azeite extravirgem
2 ovos cozidos
1 cebola picada
2 tomates sem sementes cortados em cubinhos
1 colher (sopa) de salsinha picada
4 colheres (sopa) de azeite de oliva
Suco de 1 limão siciliano
10 azeitonas pretas picadas
Sal e Pimenta-do-reino a gosto
Preparo:
Deixe o bacalhau de molho, na geladeira, por 12 horas, para dessalgar.
Troque a água pelo menos 2 vezes. No dia seguinte, cozinhe o bacalhau em água fervente, escorra, elimine a pele, espinhas e desfaça-o em lascas.
Deixe o grão de bico de molho em água fria de um dia para o outro. Cozinhe o grão de bico na panela de pressão por 10 minutos (a partir do momento que a panela começar a chiar) ou até que fique macio. Cozinhe os ovos e corte-os em partes.
Aqueça bem uma panela, adicione um pouco de azeite, junte a cebola e o alho picadinhos. Refogue o bacalhau até ficar cozido e macio. Tempere com sal, pimenta-do-reino e reserve.
Misture o grão-de-bico com o bacalhau, os ovos, o tomate , a salsinha e as azeitonas. Acrescente o azeite e limão. Ajuste o sal, a pimenta e leve à geladeira até o momento de servir.